Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Mesmo que isto fosse um Interturmas, Diogo Faro preferia jogar com a Dona Cristina, que era uma contínua meio coxa, do que com Ilori

Por falar em centrais: o humorista viu o LASK - Sporting e diz-nos que quando Coates é um do jogadores mais rápidos em campo, talvez seja altura de revermos todo o nosso conceito de futebol

Diogo Faro

JOE KLAMAR/Getty

Partilhar

RENAN

Sentiu que, após as últimas exibições do Maximiano, era injusto, de mau tom até, ser ele hoje o titular. Portanto, quando teve uma oportunidade flagrante, não hesitou. Falhou completa e propositadamente o tempo de salto, deixando a bola passar por baixo das pernas, e ainda fez questão de espetar os pitons na perna do outro. Era impossível não ser expulso. Tudo para dar lugar ao miúdo. Grande colega.

MAXIMIANO

Entra nesta tal situação de injustiça por não ser titular, mas também leva logo com o penálti para não ser armar em esperto e a mania não lhe subir à cabeça. Mas se já se previa que viéssemos de Linz com 4 ou 5 no bucho, só por causa dele é que isso não se concretizou. Ficámos pelos 3.

ILORI

Vou-vos dizer uma coisa, mesmo que ainda só estivesse na fase de grupos do Interturmas e fosse jogar contra a pior equipa da escola, preferia pôr na minha equipa a Dona Cristina (era uma contínua meio coxa) do que Tiago Ilori.

COATES

Quando o Coates é um dos nossos jogadores mais rápidos em campo, não sei se não está na altura de revermos todo o nosso conceito de futebol.

BORJA

Usou o seu maravilhoso pé esquerdo para múltiplos cruzamentos. Pena que tenham saído todos para a esquerda, o que, estando ele próprio à esquerda, quer dizer que foram para fora.

ROSIER

O único lance em que me pareceu estar em destaque foi aquele em que se lesionou na chuteira, e exibiu umas pinturas faciais que pareciam uma borboleta, como as crianças são pintadas por palhaços quando vão ao domingo ao Dolce Vita Tejo.

MIGUEL LUÍS

Já disse aqui que remata muito e marca pouco. Não é por mal, até era para o incentivar que eu gosto dele. Mas sinto que se ele tiver lido a outra crónica, só o deixei mais inibido. Hoje, nem rematar. Que eu me lembre, pelo menos. Também não me lembro muito dele em campo, sequer.

EDUARDO

De volta à titularidade para mostrar como faz tanta falta à titularidade como a manteiga faz a uma sandes de queijo (e nem me venham dizer que vocês são daqueles que põe manteiga nas sandes de queijo. Que nojo.).

RAFAEL CAMACHO

Fintou, pelo menos que eu tenha reparado, que eu às vezes distraio-me e mudo para o Preço Certo, 135 vezes os jogadores do LASK. Alguém tem de lhe dizer que não se ganha pontos por isso, é preciso marcar golos. Mas se se ganhasse, teria feito um jogo abissal.

RODRIGO FERNANDES

“Pá, ok, ele achou injusto ser titular em vez do Max. Mas, porra, o que é que eu tenho a ver com isso? Toquei para aí três vezes na bola e fui logo substituído por causa daquela estupidez. Para a próxima diz logo que não quer jogar e pronto!”.

PEDRO MENDES

Fartou-se de correr. Andou para ali desalvorado de um lado para o outro, já com os bofes na boca. Para quê? Qual foi a utilidade? Absolutamente nenhuma, dentro de campo. Aqui na crónica, serviu para eu escrever “bofes” pela primeira vez e ficar bastante feliz com isso.

JESÉ

Rei do Reggaeton é também o Rei do Não Me Está a Apetecer Marcar. É que até tinha dado para empatar e ter dado outro ânimo ao jogo, mas isso fazia com que depois tivessem todos que correr mais para tentar dar mesmo a volta ao jogo, e com o frio que faz na Áustria não valia a pena. Ainda ficavam com cieiro.