Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

A última vez que um central marcou um golo de livre tão bonito, o Sporting foi campeão. Ainda há esperança este ano

E ninguém convence Diogo Faro do contrário, que, às tantas, olhou para Maximiano e notou-o com cara de quem estava a pensar o seguinte: "ainda bem que o Varandas acha que vale títulos o Ronaldo sofrer com o Sporting. Por este andar, hoje é mais um para o Museu, então”.

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

Maximiano

Quando levou o primeiro golo, ficou mesmo com cara de quem estava a pensar: “Ainda bem que o Varandas acha que vale títulos o Ronaldo sofrer com o Sporting. Por este andar, hoje é mais um para o Museu, então”.

Ristovski

Esteve para o Sporting como o IVA da electricidade esteve para o Orçamento do Estado. Bateu-se bem, mas não desceu.

Coates

Irrepreensível, tanto a aliviar as bolas na defesa, como a cruzá-las no ataque. Utilizou foi sempre a mesma técnica para ambos, o que inviabilizou qualquer hipótese de algum cruzamento vir a ter uma finalização.

Neto

Pena que o cinto de castidade que tinha no joelho não o deixou esticar a perna para evitar o remate do Jackson. Escusava o Ronaldo de estar a sofrer em vão, coitado, se ainda por cima acabámos por ganhar.

Mathieu

Da última que me lembro de um central nosso marcar um golo de livre tão bonito – André Cruz – fomos campeões. Por isso, ainda há esperança para este ano. Do contrário ninguém me convence.

Acuña

Foi à direita cruzar com o esquerdo, num gesto técnico em que rodopiou sobre si mesmo também da esquerda para a direita. Se fosse político, já o estavam a acusar de não ter espinha dorsal. Sendo jogador, ficamos contentes que faça cruzamentos em condições e que até sejam assistências (sim, eu sei que foi auto-golo, não sejam picuinhas, não me irritem que é domingo).

Battaglia

Destaco o bom cabeceamento que teve logo no início do jogo, altura em que os comentadores ainda estavam muito confusos a tentar perceber porque é que havia tanto silêncio no estádio. Chegaram a dizer “silêncio ensurdecedor”, porque comentador de futebol não é comentador de futebol, se não largar um belo lugar-comum que nada acrescenta.

Wendel

Jogou bem, sim senhor, merece ir jantar ao Guilty, esse restaurante que tem que ter tantos avisos de “Cuidado, piso escorregadio” quanto tem cadeiras, tal é o azeite que escorre por todo o lado.

Rafael Camacho

Ficou tão triste, lá para meio da primeira parte, quando o Ristovski não lhe passou a bola, que nunca mais se recuperou emocionalmente. Entrou em depressão e por esta altura está deitado num divã a fazer psicanálise para desenterrar os seus medos mais profundos de voltar a fazer sprints em vão e sentir-se abandonado.

Vietto

Foi passes de calcanhar, foi remates perigosos, foi falhar golos isolado. Uma tarde bem passada, no fundo.

Sporar

Continua a fazer bons jogos, apesar de não marcar. É um bocado como fazer matches no Tinder, mas depois não ir aos dates concretizar. Sabe a pouco, Sporar. Sabe a pouco.

Jovane

Decisivo na assistência para o auto-golo que nos deu a vitória, mesmo que o central do Portimonense tenha rematado com a perna flácida, o que não promoveu nada a beleza do lance.