Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Coisas que Max fez no jogo: jogar à sardinha consigo próprio, trautear Capitão Fausto, fazer mentalmente a tabuada (por Diogo Faro)

O humorista viu o encontro do Sporting com o Santa Clara e sente-se satisfeito por Acuña só ter 57 cartões amarelos no campeonato, uma autêntica chapada de luva branca para quem achava que ele ia acabar a temporada com uns 59 ou 60

Diogo Faro

NurPhoto

Partilhar

MAXIMIANO

Contou cadeiras vazias, fez mentalmente a tabuada (só até à do 5, que a partir já complica), lembrou-se que podia fazer bacalhau à Gomes de Sá para o jantar, jogou sardinha consigo próprio, pensou em que nome artística teria se fosse rapper, trauteou músicas de Capitão Fausto e, de vez em quando, lá deitou um olhinho ao jogo, não fosse ter que fazer alguma coisa.

EDUARDO QUARESMA

Ontem foi a segunda vez que teve contacto com os Açores. A primeira vez foi quando foi com a escola em visita de estudo a S. Miguel e gostou muito. Conheceu a Lagoa das 7 Cidades, comeu lapas e fez figuras tristes a tentar falar com o sotaque da ilha. Quando voltou fez uma composição e teve Satisfaz, como no jogo.

COATES

Inglório não ter sido golo, naquele cabeceamento no qual teve que se baixar tanto que fez uma displasia da anca. A idade não perdoa. Está aqui, está a jogar dominó no parque. Sempre deve ser mais emocionante que o jogo de ontem.

ACUÑA

É bonito estarmo-nos a aproximar rapidamente do fim do campeonato, e constatarmos que o Acuña tem 57 amarelos em 30 jogos que fez esta época. Uma autêntica chapada de luva branca para quem achava que ele ia acabar a temporada com uns 59 ou 60.

RISTOVSKI

No café onde vi o jogo, estava lá um senhor que, a cada vez que o Ristovski tocava na bola, dizia “’tou farto deste gajo”. Deve estar com saudades do Luís Felipe ou assim.

NUNO MENDES

À partida, e continuando assim, é menino para estar a assegurar lugar no 11 para a próxima época. A não ser, claro, que resolva ir para um clube qualquer da Europa ganhar rios de dinheiro e ser esquecido num instante, como quase todos os putos fazem quando começam a jogar bem na equipa principal.

DOUMBIA

Coisas que chocam o Doumbia na mesma medida: a crise humanitária no Yémen, a ignorância do Trump, pessoas que não gostam de papaia, levar um cartão amarelo. Ainda não se refez do sucedido.

WENDEL

Provavelmente o melhor em campo, a par do Nuno Mendes, sendo que para isso contribuiu a bela assistência que fez. Mas também não vale a pena embandeirar em arco, visto que ser o melhor em campo num jogo desta qualidade é como ser o melhor chef do McDonald’s.

PLATA

Apesar de não ter sido, obviamente, o seu melhor jogo, continua a ser tão bom a desmarcar-se dos adversários como o Miguel Sousa Tavares de argumentos plausíveis para se parar com o financiamento público de touradas.

SPORAR

Agora a sério, Sporar. Se um dia destes de voltar a apetecer jogar, estás à vontade. Claro que não tem mal nenhum que continues como tens estado, mesmo. Só te digo isto para te deixar à vontade. Imagina que, meramente por acaso, te dá vontade de dar uma corridinha mais apertada, um passe rasgadinho, um remate enquadrado. Se essa vontade te vier, quero só que estejas à vontade para te libertar. Por nós, estás mesmo à vontade para jogar à bola, se te apetecer.

JOVANE

Quem é que não jogava logo melhor se levasse um apertão do Acuña? Diga-me um! Diga-me um! Claro, ninguém. Depois do susto que apanhou ao quase levar uns bananos do Acuña, o Jovane voltou a marcar golos, e agora come sempre a sopa toda e nunca se vai deitar sem ter os TPC feitos.

MATHEUS NUNES

Entrada importantíssima para ficar tudo exactamente como estava.

TIAGO TOMÁS

Irrepreensível a substituir o Sporar, naquele que foi muito provavelmente o melhor lance do Sporar no jogo.

BORJA

Jogou 4 minutos. Nem sou capaz de dizer mal dele com tão pouco tempo de jogo. Quer dizer, sou. Não puxem por mim.