Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Um dia, Diogo Faro ia escrever sobre fascistas, Rui Rio, um determinado colunista e Maradona numa crónica do Sporting

Aqui está a análise humorística do autor aos jogadores que ontem derrotaram o Moreirense por 2-1. Vide Pedro Gonçalves, Feddal, Neto e Adan e Porro para entender este título amalgamado

Diogo Faro

Gualter Fatia

Partilhar

ADAN
Se tocou na bola três vezes foi muito. Se bem que no golo que levou podia ter feito mais. Não que chegasse de alguma maneira à bola, mas podia ter dito ao Neto “não toques, não toques, que se tocas fazes auto-golo, está-se mesmo a ver”, visto que este não conseguiu lá chegar sozinho.

COATES
Alguém da defesa tinha de não falhar passes à entrada da própria área, fazer auto-golos ou fazer coligações com a extrema-direita. Três das falhas que podem afectar quem tem o dever de defender balizas ou a democracia.

FEDDAL
Neste âmbito, se a nossa baliza for a democracia e o Moreirense o fascismo (eu sei que não são, calma, é só mesmo para propósitos de metáfora), o Feddal é o João Miguel Tavares. Não é fascista (até ver), mas estende-lhes bem a passadeira.

LUÍS NETO
Já o Neto, fez de Rui Rio e meteu o fascismo todo lá para dentro. A diferença é que o Neto até parece um bom rapaz e não o fez de propósito.

PEDRO PORRO
Como é seu apanágio, um jogo muito consistente ali sempre junto à linha. Se calhar agora metia-se aqui uma referência ao Maradona, até em jeito de homenagem, mas já secaram todas as piadas possíveis sobre o assunto.

JOÃO MÁRIO
Jogo mais discreto, sem grandes remates ou malabarismos, mas sempre ele a fazer jogar a equipa, bola vem, bola vai, recebe daqui, desmarca para ali, com uma fluidez de jogo no meio-campo que eu nem me lembrava que o Sporting sabia fazer. Mas com o João Mário fica tudo mais fácil.

NUNO MENDES
Pela primeira vez, vi-o ser um bocado nabo e não fechar na defesa. Acontece. Tendo em conta que é uma criança, e que além de ser titular e brilhar em quase todos os jogos até agora, não é uma falha num jogo, que depois também ajudou a ganhar, que o vai deixar ficar mal. Continuamos à espera da confirmação que renovou contrato e que tem uma cláusula de 250 milhões

PEDRO GONÇALVES
O que é que querem que vos diga mais sobre ele? Foi o homem do jogo. Tem 9 golos em 8 jogos. Marcou um golo todo atrapalhado (mas marcou!) e um golo lindo, e ainda fez um remate à barra de uma beleza tal que a comentadora disse “seria um golo de levantar o estádio… caso o estádio não estivesse vazio”, o que foi um comentário extremamente trágico-cómico e adequadíssimo aos tempos que vivemos.

PALHINHA
Acho que ficou claro para todos que o Palhinha chegou a um ponto em que até pode ter 4 ou 5 gajos para marcar que vai conseguir dar conta do recado. Não vos minto quando vos digo que senti uma tensão homo-erótica-futebolística por ele quando o vi sair do meio de 3 jogadores do Moreirense com a bola controlada, com a facilidade de quem bebe um café ao domingo de manhã na esplanada.

SPORAR
Bem sei que não estava propriamente inspirado, mas a julgar pela avaliação dos comentadores, quem só os ouvisse diria que tinha falhado 3 penalties, chutado 7 vezes ao lado com a baliza toda aberta, deixado queimar o jantar e abandonado a mulher e os filhos para ir viver para Miami num motel.

NUNO SANTOS
Voltámos a ter um jogador que faz passes de letra? Voltámos. Eu já não sei o que é pode acontecer mais em 2020 que me consiga surpreender. Está mesmo a valer tudo.

JOVANE CABRAL
Boa entrada para distrair o Moreirense. Ficaram preocupados com ele e andaram meio atordoados a tentar marcá-lo, enquanto se esqueciam do génio do Pedro Gonçalves.

TIAGO TOMÁS – MATHEUS NUNES - ANTUNES
Entraram todos no fim do jogo para marcar cantos curtos, tentar esconder a bola, segurar o resultado e fazer com o Sporting continue isolado em primeiro (continua a ser-me estranho dizer isto em voz alta).