Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Sporar: tão perto de ser o novo Messi (por Diogo Faro)

Esta é uma análise do humorista à vitória do Sporting frente ao Sp. Braga que envolve gin tónico, safari cola, Champomy e jantares com a namorada. E com a ex-namorada também

Diogo Faro

MÁRIO CRUZ/LUSA

Partilhar

ADAN

Até agora, melhor jogador do ano no Sporting. Pode parecer precipitado porque ainda agora vamos no segundo dia deste ano, mas a vida destas pequenas vitórias e depois do ano que passámos todos, não é um pouco de positivismo que vai matar alguém.

COATES

Se há jogador com quem gostava de ter estado na passagem de ano. Deste homem só vem carinho e esperança, mesmo quando achamos que o mundo é só um poço de negrume sem finitude à vista.

FEDDAL

Primeiro jogo que ganhou pelo Sporting a um rival. E isso é bom. Por outro lado, foi o primeiro jogo que qualquer jogador do Sporting ganhou a um rival no último ano.

NETO

Ano nova, vida nova. É o que se diz, mas com o Neto nunca se sabe. Desejo-lhe o melhor para 2021, porque precisamos do melhor dele para continuar a acalentar a alguma esperança.

PORRO

Foi considerado o homem do jogo, não só pelos comentadores como pela minha amiga que estava a ver o jogo comigo e que, sempre que ele aparecia dizia “fazia”.

NUNO MENDES

Quando tinha a idade dele, mesmo a dia 2, estava ainda bêbado da passagem de ano, provavelmente a tentar adormecer no chão da casa de um desconhecido qualquer, tentando ignorar os sons de sexo ou de vómito em meu redor. Já o Nuno, prefere fazer este disparate de jogo a correr desalmadamente durante 90 minutos, incluindo fazer o cruzamento que deu o primeiro golo. Crianças, não seguiam o exemplo do Nuno.

JOÃO PALHINHA

Foi como ir a um jantar com a ex-namorada, mas levar também a actual e correr tudo bem. Foi educado, respeitoso, mesmo sem ter o mínimo pejo em mostrar que estava feliz.

JOÃO MÁRIO

Aquele amigo que na passagem de ano esteve lá para nós do início ao fim. Começou a fazer gins tónicos ao final da tarde, acabou ao início da manhã a dar ombro aos que precisavam de chorar. Nunca exuberante, sempre imprescindível.

NUNO SANTOS

Assistência de calcanhar. Acho arriscado começar o ano a pôr as expectativas tão lá em cima para o que resta. Eu tento começar o ano só a fazer uns ovos mexidos, para brilhar quando conseguir fazer um bacalhau com broa lá para o Natal, mas é capaz que o Nuno seja jovem e ainda não saiba gerir expectativas.

TIAGO TOMÁS

Outra criança que claramente preferia ter-se embebedado a beber Safari Cola e a fumar charros com os amigos, mas teve de beber Champomy e comer passas, e deitar-se logo a seguir à meia-noite por ser jogador da bola. Não o invejo, nem por um segundo.

PEDRO GONÇALVES

Era deste alento de que eu precisava. Um pouco de normalidade para ter esperança para o novo ano. Pote de novo a marcar e a vida a parecer mais bonita.

MATHEUS NUNES

Um golo ao calhas conta tanto como qualquer outro golo, mas conta mais quando falamos de um jogador que só tem jogado 15 segundos por jogo.

SPORAR

Tão perto de ser o novo Messi.

TABATA

Isto às vezes também o que importa é participar. E esta frase tanto serve para o jogo do Tabata como para a vida. Bom ano a todos!