Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Vocês a encher as redes com posts de dia dos Namorados e nada foi mais romântico do que ver como João Mário trata a bola (por Diogo Faro)

Na sua análise humorística à vitória do Sporting sobre o Paços (2-0), Diogo Faro segue a linha do treinador Rúben Amorim, mas de forma mais intensa: "Nunca esquecer que somos o Sporting. Ou seja, podemos chegar à penúltima jornada com 27 pontos de avanço para o segundo lugar, e mesmo assim acontecer uma catástrofe qualquer de repente, e não sermos campeões na mesma"

Diogo Faro

Carlos Rodrigues

Partilhar

ADÁN

É também muito por ele que estamos como estamos. Mas aproveito para pedir aos sportinguistas que continuemos todos discretos, e só a pensar jogo a jogo. Nunca esquecer que somos o Sporting. Ou seja, podemos chegar à penúltima jornada com 27 pontos de avanço para o segundo lugar, e mesmo assim acontecer uma catástrofe qualquer de repente, e não sermos campeões na mesma.

NUNO MENDES

Estou pronto para andar à porrada com qualquer pessoa que se atreva a dizer-me que o Nuno não está, pelo menos, entre os melhores dois laterais do mundo desta época (sendo que o outro é o Porro, claro).

COATES

Depois do jogo passado, era expectável que não falhasse golos dentro da pequena área. Mas é possível que tenha sido humildade propositada para deixar também algum protagonismo para os outros. Também é nestes momentos que se vê quem são os grandes capitães.

GONÇALO INÁCIO

No único lance em que o Coates foi batido, ele apareceu a fazer a compensação com garra, com companheirismo, com dedicação e até com mais solidariedade do que os outros soldados foram resgatar o Ryan. Entrega à equipa é isto.

FEDDAL

Foi ele hoje o central a brilhar. Não numa de querer rivalizar com o amigo Coates, mas para mostrar que também é capaz. Não é competição, é cooperação. Fez o passe (lindíssimo, diga-se) que deu origem ao penálti, fez a assistência (claro que foi completamente intencional, nem sequer tentem dizer que ele queria rematar) para o segundo. Perfeito.

PORRO

Eu sei que sou muito infantil a ver bola, mas se há coisa que adoro, logo a seguir aos golos, é ver uma cueca bem dada. E o Porro deu-me a felicidade de vê-lo fazer duas daquelas que, se tivessem sido dadas lá no campo da escola, tinha mandado os colegas todos para o chão a rir e era provavelmente considerado bullying a quem as levou. Ainda bem que esta gente é profissional e muito menos infantil que eu.

PALHINHA

As coisas mais bonitas que vi nos últimos dias: a série The Virtues (podem ver no Filmin), a minha avó a mandar-me uma SMS sem querer que dizia “wahwahwahwhathzaarefsdfs”, o vídeo do Jorge Jesus “ai levaste um pau?”, e o sorriso do Palhinha depois de marcar este golo.

JOÃO MÁRIO

Vocês ontem a encher as redes sociais com os vossos posts de Dia dos Namorados, e nada foi mais romântico e amoroso do que ver como o João Mário trata a bola.

PEDRO GONÇALVES

Mais um jogo sem marcar como este, e rasgo os 17 posters dele que fui colando na parede do quarto desde o início da época.

PAULINHO

Por mim, se aquela de calcanhar tivesse entrado, os 13 milhões estavam pagos. Sendo assim, ainda tem muito por saldar.

TIAGO TOMÁS

Decisivo no segundo golo do Sporting, essencialmente na maneira como não tocou na bola.

JOVANE

Um remate com muita força contra a barreira e um cartão amarelo por puxar a camisola para cortar um contra-ataque. Se o motivo da sua entrada em campo era arreliar os jogadores do Paços, correu muito bem.

TABATA

Entrou ao mesmo tempo que o Jovane, com a desvantagem de não ter feito nada de relevo, nem sequer para arreliar.

MATHEUS NUNES

Entrou para me deixar com ansiedade a um minuto do fim com aquela falta à entrada da área. “Ai, que estupidez, Diogo! Mesmo que marcassem ficava 2-1.”. Meus meninos, eu já vi de tudo acontecer ao Sporting. Não me peçam para não ficar ansioso nestes momentos.

MATHEUS REIS

Entrou a tempo de fazer uma corrida para a frente como quem ganha jardas. Pode parecer insignificante, mas tudo conta.

No meio está a virtude do (cada vez mais) líder

Os dois 'Joões' do meio-campo do Sporting (Mário e Palhinha) garantiram de bola parada a vitória tranquila sobre o Paços de Ferreira, que aumenta para dez pontos a vantagem dos leões para o segundo lugar do campeonato, e coloca o clube que não é candidato mais próximo do sonho que foge há 19 anos