Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Diogo Faro

Peço ao Rúben que evite fazer-me sentir tão velho. Essugo tem metade da minha idade e estava ali em Alvalade e eu no sofá (por Diogo Faro)

Na sua análise humorística à vitória do Sporting sobre o Vitória (1-0), Diogo Faro focou-se na estreia de Dário Essugo, jovem de 16 anos: "Esta criança tem metade da minha idade e estava ali com a camisola do Sporting vestida em Alvalade, e eu de pijama velho, sentado no sofá a beber vinho sozinho, enquanto via o jogo e pensava no sentido da vida"

Diogo Faro

NurPhoto

Partilhar

ADÁN

Tremi duas vezes esta semana, ao ponto de me assustar em condições. No sismo de há dias, e quando a bola foi à barra do Adán com este só a olhar para os acontecimentos. Sobrevivi às duas, mas não recomendo.

NUNO MENDES

Fico impressionado com este miúdo. Teve mais alegria de viver só neste jogo do que eu tive em todo este ano de pandemia.

NETO

Fez um jogo mesmo muito completo. Dá-me ideia que só não bateu em dois ou três jogadores do Vitória, com o extra de conseguir sempre dizer “foi na bola, senhor árbitro”, mesmo quando nem de raspão tocava nela.

GONÇALO INÁCIO

Isto de festejar um golo duas vezes é divertido, mas deviam começar a estudar a correlação entre isto e o risco de problemas cardiovasculares daqui a uns anos que eu já não vou para novo.

FEDDAL

Hoje em dia, vê-lo jogar sem o Coates ao lado é como ópera sem orquestra, sushi sem molho de soja, o Chega sem dizer coisas racistas. Não estamos habituados e ficamos desconfiados quando acontece, mas correu tudo bem (o jogo do Feddal, claro, porque haver um partido racista não é nunca sinal de que as coisas estão a correr bem).

PORRO

Eu só queria que o mundo tivesse um centésimo do altruísmo que este homem tem a tentar dar golos aos colegas. Podia ser que já tivessem largado as patentes das vacinas para a COVID-19.

PALHINHA

Diz-se por aí, boatos por confirmar, que “João Palhinha” já vai fazer parte do dicionário da Porto Editora do próximo ano, enquanto sinónimo de “ubiquidade” e “omnipresença”. Queria só aproveitar para pedir aos comentadores para não o chamarem de “polvo”. No futebol isso é associado à alegada (!) corrupção do Luís Filipe Vieira e o Palhinha (e nós) dispensa bem isso.

JOÃO MÁRIO

Conto mais com o João Mário para não me falhar em nada na vida, do que com a maior parte dos meus amigos. Não sei se isto diz mais sobre a qualidade do João Mário ou sobre as minhas amizades.

PEDRO GONÇALVES

Fez o melhor passe do campeonato. Tiveram de ir buscar uma bola que tinha saído de campo há 10 minutos para anular o golo que veio deste passe. Sim, sim, sou completamente a favor do VAR. Mas vocês viram bem aquele passe? Temos noção da ode ao futebol que foi? A equipa de arbitragem devia ter mais noção artística das coisas e não ser tão picuinhas.

TIAGO TOMÁS

Foi ele que recebeu o passe do Pote – o melhor passe do campeonato, não sei se já vos tinha dito – e que marcou um óptimo golo que afinal não era. Foi um golo de Schrödinger.

DANIEL BRAGANÇA

Hoje ficou clara a opção capilar do Daniel, sendo esta unicamente justificável pela presença de um olho na nuca que anda ali disfarçado, e que lhe permite fazer constantemente passes de calcanhar que ninguém sabe de onde vêm.

TABATA

Entrou para fazer rodopios sobre si próprio. Dou-lhe 7 pontos e a esperança numa ida aos Jogos Olímpicos.

PAULINHO

Se eu estava de coração na boca quando o Paulinho aos 92’ fez um corte na pequena área? Claro que não, que disparate. Não estava. Juro. A sério, parem com isso. Não insistam. Vocês é que estavam nervosos. Eh pá, larguem-me! NÃO ESTAVA NERVOSO, JÁ DISSE.

JOVANE

Altruísta a dar aquela bola no fim do jogo ao Paulinho. Este achou demasiado fácil e preferiu remeter a bola para a zona de Telheiras.

ESSUGO

Estreou-se hoje, com 16 anos, pela equipa principal da Sporting. Eu fico muito feliz pelo miúdo (foi lindo vê-lo chorar no fim) e pelo Sporting. Mas também peço ao Rúben Amorim que evite fazer-me sentir tão velho. Esta criança tem metade da minha idade e estava ali com a camisola do Sporting vestida em Alvalade, e eu de pijama velho, sentado no sofá a beber vinho sozinho, enquanto via o jogo e pensava no sentido da vida.

MATHEUS REIS

Ganhou um canto. Ganhou uns minutos para segurar a vitória. Ganhou um lugar no meu coração