Tribuna Expresso

Perfil

Entrevistas Tribuna

Bruno Fernandes: "Em 2004 era adepto e chorei muito. Tinha a cara pintada, fiquei todo borrado"

Bruno Fernandes bem tentou, por várias vezes, mas não conseguiu marcar à Holanda. Nada que preocupe muito o médio do Sporting, que está feliz é por ter conquistado a Liga das Nações em casa, depois de ter chorado muito, "ainda miudinho", com o Euro 2004, como confessou à Tribuna Expresso na zona mista do Dragão

Mariana Cabral

Gualter Fatia

Partilhar

Estavas mortinho por marcar um golo hoje.
A bola não queria entrar... Não estava fácil.

Prometeste a alguém que ias marcar um golo, foi isso?
Não, não prometi a ninguém. Desta vez não tive nenhum pedido, porque a minha filha hoje não se lembrou de me pedir golos, por isso estou tranquilo quando chegar a casa [risos].

É mais fácil para ti jogar neste 4-3-3, com o Danilo e o William, do que no 4-4-2 losango?
Na seleção é fácil jogar de qualquer maneira, com a qualidade que temos, com os jogadores que temos à disposição. Torna-se fácil jogar, seja de que maneira for.

Ganhar aqui no norte é especial para ti?
É sempre diferente. É a minha cidade, é a cidade onde cresci, cresci no Porto, por isso tem sempre um sabor especial para mim. Em 2004 era adepto e chorei muito, era muito miudinho ainda [risos].

Onde viste a final?
Vi no centro da Maia, no ecrã gigante. Chorei muito e como tinha a cara pintada fiquei todo borrado. Mas estava orgulhoso na mesma pelo percurso que os nossos jogadores tinham feito na altura.

É uma espécie de enterrar um fantasma, 15 anos depois?
Não é um fantasma, porque Portugal já conquistou o Euro em 2016, por isso os fantasmas já foram à vida há algum tempo. Mas estamos satisfeitos, obviamente é muito importante ganhar aqui e estamos muito felizes por ganhar à frente do nosso povo.

O que é que esta geração pode fazer?
Pode continuar a trabalhar, pode continuar a dar o máximo. Temos de pensar jogo a jogo e com certeza que esperamos dar mais alegrias ao povo português.

TF-Images

Agora que terminou a Liga das Nações, já é altura de pensar no futuro?
Não, agora é uma boa altura para nas férias [risos]. Já estou um bocadinho cansado, preciso de descansar e a minha família também precisa de tempo para estar comigo. Agora quero é descansar. Obviamente, se surgir alguma coisa, vou ter de tratar das coisas, como é normal, mas neste momento não estou muito preocupado com isso.

Tens sido muito associado a clubes ingleses. O campeonato inglês atrai-te?
Sempre disse que o campeonato inglês é o de que mais gosto, desde miúdo. Sempre o acompanhei. Neste momento, não sei dizer se é verdade ou não o que se diz nos jornais. Em Portugal faz-se muita capa para vender.

Que clube acompanhavas?
Não tinha nenhum clube em especial. Acompanhava mais o Cristiano, porque era fã dele, era mais por isso.

Quando esperas ter o futuro definido?
Não tenho pressa, porque tenho contrato com o Sporting. Estava mais preocupado no ano passado. Este ano não tenho pressa.