Tribuna Expresso

Perfil

Entrevistas Tribuna

A era do comodismo acabou com Pedro Martins

É o único treinador, este século, com mais de dois anos no Olympiacos e pouco lhe falta para bater o recorde de vitórias no clube. O Expresso falou com Pedro Martins, que vai na terceira época na Grécia, está com 19 pontos na liderança do campeonato e prestes a ser o técnico português com mais títulos conquistados no país

Diogo Pombo

O treinador português, de 50 anos, vai na terceira época no Olympiacos e já fez mais do que 150 jogos pelo clube

Mike Hewitt/Getty

Partilhar

Era um pacto apalavrado, nenhuma tinta tocara em papel algum. Pedro Martins muito falara com Christian Karembeu e foi com o diretor desportivo do Olympiacos que discutira os pontos que faltavam nos is antes de sequer ter os pés em Atenas e conhecer o autor da assinatura que teria sempre de partilhar folha com a sua. Quando chegou à Grécia “já tinha praticamente um acordo”, estava lá “para assinar” e só aí conheceu quem, um parco mês antes, enviou para férias e multou em €400 mil os jogadores que estavam prestes a ser treinados pelo português.

A reputação precede Evangelos Marinakis: é um presidente cuja sombra tem decisões drásticas, intempestivas e severas, em 2015 até fizera coisa parecida à equipa do Olympiacos e, desde que manda no clube (2010), pôs o preto no branco para contratar 18 treinadores. A maioria nem seis meses durou, apenas dois permaneceram mais de um ano e ninguém chegou à centena de jogos com a equipa. “O que posso dizer é que o presidente é um apaixonado pelo clube, está sempre presente e dá-me total liberdade para exercer a minha liderança no grupo de trabalho”, diz diplomaticamente Pedro Martins, o 19º técnico, que está no clube há quase três voltas ao sol e vai com mais de 150 jogos feitos.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler