Tribuna Expresso

Perfil

Entrevistas Tribuna

“Não rasgo as arbitragens, mas ser bom não é ser bombom. Aí, comem-nos e há tendência para ajudar os clubes grandes”

Paulo Meneses é o presidente do Paços de Ferreira, equipa-sensação da Liga que sustenta o sonho da Liga Europa num orçamento reduzido e no rigor. Meneses pede mudanças de mentalidade no dirigismo, critica o secretário de Estado do Desporto, revela segredos do balneário e põe-se do lado de Rúben Amorim: "O que lhe estão a fazer é uma caça às bruxas, uma hipocrisia"

Isabel Paulo e Rui Duarte Silva

Partilhar

Em quinto lugar, com nove confortáveis pontos de vantagem sobre o Vitória de Guimarães, a equipa-sensação já assumiu a meta da Liga Europa. Será a quinta vez que o Paços de Ferreira cruzará a fronteira, sete anos depois da sua estreia na Champions.

A ida à Europa já está assumida?
O treinador já o fez após o jogo com o Moreirense. Assumiu essa responsabilidade, a direção também. Confesso que ficaria frustrado se não fossemos à Liga Europa, mesmo sabendo que só compensa financeiramente se a equipa chegar à fase de grupos. Ir às eliminatórias é só currículo.

Para ler o artigo na íntegra clique AQUI