Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020

Onde está o nosso amuleto?

Bruno Vieira Amaral questiona o "marasmo de unanimidade" da convocatória de Fernando Santos, em que não há um Éder, nem sequer um Éder da contrafação. Para ganhar, "precisávamos de polémica, do pomo da discórdia", escreve o autor

Bruno Vieira Amaral

Anadolu Agency

Partilhar

Apesar da goleada a Israel – uma goleada tão insossa que poderia ser servida como refeição em hospitais e lares de idosos – a nação pode sossegar: a seleção continua a jogar tão mal como no Euro 2016. Portanto, as hipóteses de sucesso são boas.

Quem poderá esquecer a sucessão intrigante de empates que nos conduziu à vitória final? A inteligente estratégia de camuflagem que nos ofereceu o apuramento in extremis e, em simultâneo, um trajeto desimpedido de tubarões na fase a eliminar? O truque, certamente planeado, de tirar o capitão já durante a final, desorientando o adversário, os adeptos e até alguns elementos da equipa cautelosamente desinformados?

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler