Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

"O Christian é um jogador do caraças, mas é uma pessoa ainda mais incrível. Foi errado pedir aos jogadores para tomarem uma decisão"

A Federação Dinamarquesa de Futebol realizou uma conferência de imprensa sobre a paragem cardiorrespiratória sofrida, no sábado, por Christian Eriksen, durante o jogo com a Finlândia. "Ainda não temos uma explicação para o que aconteceu", disse o médico da seleção. Os jogadores já receberam ajuda de quatro psicólogos. Selecionador dinamarquês admite que "foi muito duro" pedir-lhes para decidirem se queriam continuar a jogar

Diogo Pombo, enviado ao Euro 2020

Lars Ronbog/Getty

Partilhar

Peter Møller, diretor-desportivo da seleção da Dinamarca

"Sim, tivemos quatro pessoas a virem ao hotel para darem ajuda psicológica aos jogadores. Tivemos uma conversas entre todos à noite, para que cada um pudesse expressar o que estava a sentir e toda a gente ficou contente com isso. Alguns jogadores ficaram a falar uns com os outros. Esta manhã, as mesmas quatro pessoas vieram ao hotel e, um a um, cada jogador pode falar com ajuda profissional. Estamos muito agradecidos à ajuda exterior que recebemos.

A conversa com o Christian teve um efeito enorme nos jogadores, adorámos vê-lo a sorrir. Estava mais preocupado com os outros jogadores e isso deu um grande boost a toda a gente. Foi um sentimento ótimo vê-lo a sorrir naquele ecrã"

A decisão foi feita de forma responsável e tomada por nós, os líderes. Não senti pressão da parte da UEFA, mas, como o Kasper disse, não sei se foi a melhor decisão, tendo em conta o estado em que os jogadores estão hoje. Todos adoramos futebol, mas o futebol não é tudo. O mais importante são as pessoas que amamos. Temos de considerar - o que é realmente o mais importante? Acho que não foi a decisão correta continuarmos a jogar.

Recebemos muitas mensagens de todo o mundo, de muitos jogadores e federações, e agradecemos a todos pela generosidade e união. Muito obrigado a todos".

Morten Boesen, médico da equipa

"Não temos uma explicação, não consigo responder a essa questão [sobre o que terá causado tudo isto]. Não o vi ao vídeo, vi depois, na televisão. Viram o mesmo que eu, mas, até agora, não há explicação.

Chegámos a perdê-lo, fizemos trabalho de reanimação e foi uma paragem cardiorrespiratória. Não sei o quão perto ficámos de o perder, mas recuperámo-lo ao fim de uma tentativa. Foi bastante rápido. Não sou um cardiologista, portanto, os detalhes e explicações deixo para os especialistas do hospital."

Kasper Hjulmand, selecionador dinamarquês

"Vamos tentar estabelecer normalidade possível, os jogadores têm choques, traumas e emoções diferentes e amanhã vamos tentar fazer as coisas de forma mais normal possível. Vou tentar avaliar os jogadores, mas o tempo se calhar é demasiado curto para retirar significado de tudo o que aconteceu. Vamos tentar dar o nosso melhor, mas tenho a sensação que vamos conseguir juntarmo-nos e fazer isso. Vamos tentar unir-nos durante as sessões de treino e dar o nosso melhor.

"Típico do Christian, estava preocupado connosco e com a sua família. Disse que não se lembrava de muito e que estava preocupado connosco. Isso demonstrar a generosidade e a pessoa que o Christian é. É um jogador do caraças, mas é uma pessoa incrível. Ele sente que seria capaz de jogar, fica mais feliz com uma bola nos pés e foi bom vê-lo a sorrir."

Olhando para trás, acho que foi errado pedir aos jogadores para decidirem. Estavam em estado de choque. Ainda não sabiam se tinham perdido o melhor amigo e tiveram que decidir. Tenho a sensação de que não deveríamos ter jogado, talvez devêssemos ter entrado no autocarro e ir para casa. É a sensação que tenho agora. Foi uma decisão muito dura de tomar para os jogadores. Sei que é difícil e tenho a sensação que foi errado colocá-los nesta situação.

Estou muito orgulhoso em ser treinador deles. Fala-se muito da comercialização, da ganância e do dinheiro, mas ontem vimos o que o futebol é realmente - espírito de equipa, compaixão e solidariedade. Ontem também vimos uma demonstração muito forte do que o futebol realmente é"

O mais importante foi a conversa com o Christian, porque até aí é muito, muito difícil seguir em frente. Foi muito positivo vê-lo hoje e, a partir daí, todos têm de abordar as imagens com que ficaram na cabeça. Todos precisarão do seu tempo, cada um levará o seu, mas vamos ajudar cada jogador da melhor forma que conseguimos. Não é algo que possamos sacudir e seguir em frente. É uma coisa com a qual temos de lidar".