Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020

A enganadora libra Sterling

Depois da vitória com a Cróacia, a Inglaterra empatou com a Escócia. O escritor e colunista revela-se aqui implacável com uma seleção e um conjunto de jogadores que diz serem claramente sobrevalorizados

Bruno Vieira Amaral

Laurence Griffiths / POOL/EPA

Partilhar

Deslumbrante no papel, a seleção inglesa revela todas as suas imperfeições quando a vemos de perto. E nem essa experiência mil vezes repetida faz com que a cotação dos ingleses baixe em vésperas das grandes competições. É inexplicável. Pelos resultados obtidos nas últimas décadas, a seleção inglesa é uma sólida representante da classe média futebolística, mas que entra sempre com o fausto e a pompa da realeza.

E nem sequer vivem de heranças, nem do prestígio de antepassados – já poucos se lembrarão dos campeões do mundo de 1966 e não há nenhuma equipa inglesa que, mesmo derrotada, como a Holanda de 74 e 78 ou o Brasil de 82, tenha ficado para a história. Eles vivem de uma moeda paralela que não é reconhecida por nenhum outro país, mas que, graças sobretudo à Premier League, conseguiram convencer-nos de que tem valor: chamemos-lhe “libra Sterling”.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler