Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

O que falta definir na última jornada do Europeu? É isto

Os cenários e a matemática visando os apuramentos de todos os grupos. Há coisas inevitáveis, outras mais improváveis e ainda aquelas que podem pingar para qualquer lado. Países Baixos já não perdem o primeiro lugar do Grupo C e a Macedónia do Norte está fora do torneio. E Portugal? É fazer as contas

Tribuna Expresso

FILIPPO MONTEFORTE

Partilhar

As contas em baixo referem-se aos apuramentos via os dois primeiros lugares do grupo, mas é importante não esquecer que os quatro melhores terceiros lugares vão seguir também em frente para a próxima fase. Veja AQUI um texto mais detalhado com os critérios de desempate e os possíveis emparelhamentos.

Grupo A: Suíça-Turquia & Itália-Gales

A Itália, com seis pontos, já está apurada e se evitar a derrota esta tarde contra o País de Gales será a primeira do grupo.

Para o País de Gales, que soma quatro pontos, confirmar o segundo lugar basta empatar com a Itália este domingo ou a Turquia não perder com a Suíça.

A Suíça, apenas com um ponto, ainda pode sonhar com o segundo lugar do Grupo A se vencer a Turquia e País de Gales perder com a Itália. Se este cenário acontecer, a diferença de golos será decisiva. Uma derrota com a Turquia significará uma eliminação precoce do Euro 2020.

A Turquia tem sido uma das desilusões e ainda não somou qualquer ponto (zero golos marcados, cinco sofridos), por isso é impossível chegar ao primeiro e segundo lugares, mas ainda pode roubar, como vimos em cima, o terceiro lugar à Suíça.

Grupo B: Rússia-Dinamarca & Finlândia-Bélgica

A Bélgica, já apurada para os “oitavos” com duas vitórias, só precisa de um empate contra a Finlândia para confirmar o primeiro lugar do grupo.

A Rússia, com três pontos, vai jogar contra a competente e desgostosa Dinamarca e, para se apurar para a próxima fase, precisa de uma vitória, ou de um empate caso a Finlândia não consiga vencer a Bélgica.

Quanto aos homens da terra de Jari Litmanen, a Finlândia (3pontos), classificam-se com uma vitória frente à Bélgica ou até com um empate caso a Rússia perca com a Dinamarca.

A Dinamarca (0p) ainda pode sonhar com o segundo lugar do Grupo B, mas para isso terá de vencer a Rússia e esperar que a Finlândia perca com a Bélgica. Ainda assim, o nó desse cenário será desfeito com o recurso à contagem de golos.

Existe ainda a possibilidade de Bélgica, Rússia e Finlândia terminarem com seis pontos cada (basta os russos baterem os dinamarqueses e os finlandeses ganharem aos belgas), pelo que a decisão será definida através do saldo de golos dos jogos entre essas três equipas. Apesar disso, é possível dizer que as três seleções avançariam de qualquer maneira, pois seis pontos para um terceiro classificado é um porto seguro.

As contas do Grupo B não acabam por aqui. Há ainda a hipótese de Dinamarca, Rússia e Finlândia terminarem com três pontos. O método para definir posições será o mesmo: confronto direto e o saldo de golos nos jogos entre as três seleções. Aqui, claro, com apenas três pontos a seleção que terminava no terceiro lugar estará mais vulnerável e dependente do que vai acontecer nos outros grupos.

Grupo C: Macedónia do Norte-Países Baixos & Ucrânia-Áustria

Por aqui as contas são mais simples. Os Países Baixos (6p), com duas vitórias, já não saem do primeiro lugar, mesmo que percam com a Macedónia do Norte (0p).

A Ucrânia (3p), a bela Ucrânia de Yarmolenko e companhia, garantirá o segundo se ganhar ou empatar com a Áustria (3p).

A Áustria precisa de uma vitória contra a Ucrânia para garantir o segundo lugar do grupo.

A Macedónia do Norte está já eliminada do torneio, com duas derrotas.

Grupo D: Croácia-Escócia & Rep. Checa-Inglaterra

A República Checa (4p), que vai liderando o grupo de uma forma Schick, pode segurar a posição se não perder com a Inglaterra (4p). Ou seja, basta um empate, pois teria igualdade no confronto direto e vantagem no que toca ao saldo dos golos (+2 vs. +1). Os checos não estão livres de terminar em segundo lugar, basta perderem com os ingleses e a Escócia (1p) ganhar à Croácia (1p). Há uma terceira via: a remota possibilidade de fecharem o grupo em terceiro acontecerá se perderem com a Inglaterra e a Croácia ganhar à Escócia com golos suficientes para os ultrapassar nessa cantiga. Checos têm saldo positivo nos golos, +2, enquanto os croatas vão registando um preocupante -1.

Já o apuramento da Inglaterra de Gareth Southgate está dependente de um mero empate com os checos, ou então de a Escócia não vencer a Croácia. Mas também é verdade que os ingleses podem, apesar das dúvidas iniciais, terminar o grupo em primeiro: “basta” vencerem o país de Panenka e Poborsky. Os britânicos não estão livres da angústia do terceiro lugar, mas isso só acontecerá se perderem e a Escócia vencer contra os croatas por uma quantidade de golos suficiente para superar o saldo dos mais antigos rivais. A Inglaterra tem um saldo magro mas positivo (+1), enquanto o cenário neste segmento é negro para a Escócia (-2).

Já a Croácia terá de ganhar o seu jogo, nem que seja para sonhar com ser um dos quatro melhores terceiros. Há um cenário animador: a Croácia vence com golos suficientes para aproveitar e ultrapassar a derrotada República Checa, ganhando-lhe assim o segundo lugar. O saldo dos croatas é -1, o dos checos +2.

Finalmente, a Escócia terá de ganhar para terminar pelo menos em terceiro lugar, embora, tal como no caso em cima, possa roubar o segundo lugar à Inglaterra através do saldo de golos.

Grupo E: Eslováquia-Espanha & Suécia-Polónia

À Suécia (4p) basta não perder com a Polónia (1p) para seguir em frente. Se os suecos perderem e se acontecer um empate no outro jogo do grupo, Suécia, Eslováquia e Polónia ficam empatadas com quatro pontos (eliminando a Espanha), pelo que terá de ser necessário recorrer às tais contas já mencionadas em cima entre as três equipas.

A Eslováquia (3p) pode apurar-se para os “oitavos” caso vença a Espanha (2p), ou até se empatar e a Suécia evitar uma derrota.

Já a Espanha, que surpreendentemente soma apenas dois pontos de seis possíveis, garantirão o apuramento caso vença a Eslováquia. Se os espanhóis empatarem, vão terminam em terceiro lugar, isto desde que a Polónia não ganhe o seu jogo.

A Polónia de Paulo Sousa alcançará o segundo lugar do Grupo E se vencer o seu derradeiro jogo e o Eslováquia-Espanha não terminar empatado.

Group F: Portugal-França & Alemanha-Hungria

Portugal (3p) será apurado para os oitavos de final caso vença os gauleses, ou até se empatar e a Alemanha (3p) perder com a Hungria (1p). Há uma hipótese de os portugueses terminarem em primeiro lugar, para tal é necessário bater a França e a Alemanha tropeçar com os húngaros. Portugal só terminará no último lugar caso perca com a França (4p) e a Alemanha fizer o mesmo contra a Hungria.

À França, que vai liderando o Grupo F, basta não perder com Portugal para seguir em frente, ou então observar um empate no outro jogo do grupo. Se vencerem os portugueses confirmam o primeiro lugar, algo que acontecerá de qualquer maneira se empatarem e a Hungria não perder com os germânicos. Se a França perder e a Hungria vencer, significando que Portugal vencia o grupo, o segundo lugar seria decidido recorrendo à tal calculadora dos embates e golos entre as equipas. Nesta altura o saldo das seleções é o seguinte: França (+1), Alemanha (+1), Portugal (+1) e Hungria (-3). Os portugueses até têm o melhor ataque do grupo, com cinco golos, cortesia de Cristiano Ronaldo (3), Diogo Jota e Raphaël Guerreiro.

A Alemanha, que despertou contra Portugal, seguirá em frente se vencer a Hungria, ou também se empatarem e a França não perder com Portugal. Os alemães, orientados por Joachim Löw, saberão o que é ficar em primeiro lugar se ganharem o seu jogo e a França não bater Portugal. Há também o cenário em que poderão ficar em terceiro lugar, isto acontecerá se empatarem com os magiares e a França perder, ou ainda se Alemanha e Portugal perderem.

Finalmente, a equipa que admirou a Europa com o empate contra a campeã do mundo, a Hungria, já não tem aspirações de chegar ao primeiro lugar, mas pode ainda sonhar com o segundo posto: para tal acontecer terá de vencer a Alemanha e esperar que Portugal caia aos pés dos franceses. Mas há outra via de acesso aos “oitavos”: se os húngaros baterem a Alemanha e a França perder com Portugal, o segundo lugar terá de recorrer à matemática e, claro, aos duelos e saldos de golos. O terceiro lugar da seleção de Marco Rossi, a última das vias para seguir em frente, depende de uma vitória contra os alemães e de um empate no Portugal-França.