Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

Os planetas alinharam-se um pouco para Portugal: até perdendo contra a França pode passar aos oitavos-de-final

Com as derrotas da Ucrânia (contra a Áustria) e da Finlândia (frente à Bélgica), a fotografia do pior cenário que pode acontecer a Portugal na derradeira jornada da fase de grupos do Euro 2020 fica um pouco menos negra. Que é como quem diz, será mais fácil a seleção qualificar-se em 3.º lugar caso, de facto, termine nessa posição

Tribuna Expresso

Baptiste Fernandez/Getty

Partilhar

A seleção nacional tem três pontos feitos em dois jogos do Campeonato da Europa, nos quais marcou cinco golos e sofreu quatro. O último adversário que terá é a França, na quarta-feira (20h, RTP1), que vai com a vitória e o empate que lhe valem quatro pontos no Grupo F, a letra do abecedário que vale a sorte de Portugal entrar em campo sabendo já de muita coisa.

Esta segunda-feira ficou a saber que a Bélgica ganhou (2-0) à Finlândia e a Áustria venceu (1-0) a Ucrânia. Os deuses do futebol pareceram ter alinhado um pouco os planetas, porque, com estes resultados, o Grupo B e C ficaram com os seus terceiros classificados com 3 pontos - os finlandeses com a diferença de golos nos -2 e um golo marcado; os ucranianos com -1 e quatro golos feitos.

No domingo, esses deuses talvez estivessem ensonados, pois a Suíça bateu (3-1) a Turquia para terminar o Grupo A com quatro pontos, na terceira posição, com -1 na diferença de golos e quatro marcados.

Fazendo o oráculo mais pessimista e pensando na pior das hipóteses - Portugal perder com a França e a Hungria ganhar à Alemanha -, a seleção acabaria com três pontos e, pelo menos, com uma diferença de zero golos e cinco golos marcados. Nesse caso, ficaria no 4.º lugar do Grupo F e de nada valerão estas contas.

Mas, se a seguinte má hipótese das más possibilidades acontecer - a França ganhar a Portugal e a Alemanha não perder com a Hungria -, a seleção pode, na mesma, qualificar-se para os oitavos-de-final caso não perca por uma diferença maior do que dois golos.

Alex Livesey - UEFA

Porquê?

Para acabar, no máximo, com uma diferença de golos no -1, que será melhor do que os suíços e igual aos finlandeses, mas superá-los-ia nos golos marcados (cinco, contra um). Ou seja, Portugal terminaria em 3.º do Grupo F, mas com a garantia de existirem, pelo menos, dois terceiros lugares com piores números nos critérios de desempate estabelecidos pela UEFA.

Que são, por esta ordem - pontos, diferença de golos e golos marcados.

Se, por acaso, houver seleções ainda empatadas, então a invenção de haver terceiros classificados a poderem sobreviver a uma fase de grupos exigiu mais invenções. Como tal, a UEFA agrupa todos as seleções empatadas e acrescenta-lhes dois critérios: a disciplina (cada cartão amarelo e vermelho deduz pontos, a partir dos 10) e, se esse continuar a não resolver a coisa, será a seleção com melhor coeficiente da UEFA a sobreviver.

Voltando um pouco atrás, se, esta terça-feira, a bonança de desventuras alheias faça o Croácia-Escócia dar em empate, uma dessas seleções terminaria na 3.ª posição do Grupo D com dois pontos - seria mais um terceiro classificado pior do que um eventual terceiro posto de Portugal, sem necessidade de fazer contas a mais critérios de desempate.

Com os resultados que já se sabem, quem ficou menos arreliadas foram a Suíça, a Dinamarca, a República Checa, Inglaterra e a Suécia. Fora os helvéticos e os dinamarqueses, também as restantes duas sabem que nunca serão um dos dois piores terceiros lugares.

  • Deixem-nos fazer contas
    Euro 2020

    O escritor e cronista Bruno Vieira Amaral diz que "não precisamos de calculadora" para o jogo com a França. Mas que "se jogarmos como no sábado nem uma calculadora nem os santinhos da nossa devoção nem todos os sonhos do mundo nos poderão salvar".

  • O que falta definir na última jornada do Europeu? É isto
    Euro 2020

    Os cenários e a matemática visando os apuramentos de todos os grupos. Há coisas inevitáveis, outras mais improváveis e ainda aquelas que podem pingar para qualquer lado. Países Baixos já não perdem o primeiro lugar do Grupo C e a Macedónia do Norte está fora do torneio. E Portugal? É fazer as contas