Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

Esta Dinamarca também é dinamite: 4-0 a Gales e um lugar nos quartos de final

Goleada da Dinamarca ao País de Gales em Amesterdão, no jogo que abriu os oitavos de final do Euro 2020. Depois da qualificação heróica, os dinamarqueses mostraram mais uma vez grande eficácia e qualidade de jogo, mesmo com as ausências de Wass e Poulsen. Marcaram Dolberg (2), Maehle e Braithwaite. Ficam agora à espera do vencedor do jogo entre Países Baixos e Rep. Checa

Lídia Paralta Gomes

Dean Mouhtaropoulos/Getty

Partilhar

A Dinamarca é a primeira equipa qualificada para os quartos de final do Euro 2020 depois de uma vitória tranquila por 4-0 frente ao País de Gales. Kasper Dolberg, no primeiro jogo a titular no Euro, a entrar na vez do lesionado Poulsen, marcou dois golos numa Johan Cruijff Arena de Amesterdão que conhece bem, já que foi jogador do Ajax entre 2016 e 2019. Joakim Maehle fez o 3-0 aos 88’ e Martin Braithwaite fechou as contas já aos 90’+6.

O País de Gales entrou melhor, conseguindo bloquear o sistema de três centrais que foi aposta de Kasper Hjulmand para este jogo dos oitavos de final, e aos 10 minutos Gareth Bale rematou com perigo à baliza de Kasper Schmeichel.

Percebendo o erro inicial, o selecionador da Dinamarca mandou avançar Andreas Christensen, passando a jogar com uma linha de quatro atrás, decisão que mudou o panorama no relvado e confirmou o favoritismo que os nórdicos já pareciam trazer antes do início do jogo.

Aos 27’, Dolberg materializou esse ascendente dinamarquês com um fabuloso golo à entrada da área, um remate em arco fora do alcance do guarda-redes galês Danny Ward.

A Dinamarca aumentou a vantagem logo no início da 2.ª parte, com Dolberg a aproveitar um corte desastrado de Neco Williams após um cruzamento de Martin Braithwaite para bisar. A partir daí, a Dinamarca soube controlar o jogo, com ou sem bola, e as iniciativas de Gales raramente levaram perigo à baliza de Schmeichel. Braithwaite ainda enviou uma bola aos ferros aos 86’ e já nos últimos minutos uma grande abertura de Mathias Jensen encontrou Joakim Maehle sem marcação na direita. O defesa da Atalanta tirou um adversário do caminho e fuzilou a baliza de Ward. Braithwaite, que tanto trabalhou ao logo do jogo, fez o 4-0 já bem dentro dos descontos, após mais uma boa jogada de entendimento do ataque dinamarquês.

Os nórdicos, que entraram no Euro com duas derrotas e com o trauma do incidente com Christian Eriksen, seguem seguros no torneio, talvez até alavancados por essas contrariedades, e ficam agora à espera do vencedor do jogo entre Países Baixos e República Checa para conhecer o adversário no próximo jogo.

  • "A Danish Dynamite jogou o mais maravilhoso e expressivo futebol de ataque"
    Euro 2020

    A Dinamarca dos anos 80 é uma das equipas de culto, gozando de um misticismo especial mesmo sem ter vencido qualquer competição, tal como a Hungria de 1954, a Holanda de 1974 e o Brasil de 1982. A Tribuna Expresso conversou com o jornalista Rob Smyth, um dos autores do livro "Danish Dynamite: The Story of Football's Coolest Team" para recordar Simonsen, Elkjær, Laudrup e companhia