Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

Aí está a primeira surpresa dos oitavos de final do Euro: Rep. Checa bate os Países Baixos e está nos 'quartos'

Neerlandeses nunca conseguiram desatar o nó que a República Checa atou à volta do seu meio-campo e com a expulsão de De Ligt, no início da 2.ª parte, chegou o descalabro. Os checos marcar duas vezes e controlaram bem o desespero dos Países Baixos, que estão assim fora do Euro

Lídia Paralta Gomes

ATTILA KISBENEDEK/Getty

Partilhar

Se ontem uma seleção utilitária ameaçou a surpresa, desta vez aconteceu mesmo. No primeiro resultado de deixar a boca aberta destes oitavos de final do Euro, a República Checa bateu os Países Baixos por 2-0 em Budapeste, agarrando assim um lugar nos quartos de final, onde o adversário será a Dinamarca.

O resultado do jogo fica intimamente ligado à expulsão do central Matthijs de Ligt, aos 55’, lance em que o árbitro Sergei Karasev começou por mostrar amarelo mas, depois de consultar o VAR, mudou a decisão para vermelho. A partir daí, o que já estava difícil para os Países Baixos, acabou por se desmoronar.

Na 1.ª parte, a equipa laranja teve mais bola, mas poucas soluções para desamarrar o nó que a República Checa atou à volta de Frenkie de Jong e Gini Wijnaldum, os principais cérebros dos Países Baixos. E a jogar com mais um cedo na 2.ª parte, rapidamente os checos, sempre coesos, conseguiram encontrar os desequilíbrios necessários para chegar à baliza.

O primeiro golo apareceu aos 68’: na sequência de um cruzamento para o 2.º poste, Kalas desviou para o outro poste onde apareceu Holes para cabecear para a baliza. E aos 80’, numa jogada rápida de transição, Holes está novamente no lance ao ganhar a bola aos holandeses, deixando já dentro da área num passe atrasado para Patrik Schick, que fez o 4.º golo neste Europeu.

Em desvantagem, os Países Baixos foram presa fácil para a organização e competência checa, equipa que até final soube baixar o ritmo e controlar o desespero do adversário, que praticamente não criou perigo em desvantagem. A única verdadeira oportunidade dos Países Baixos aconteceu ainda antes da expulsão de De Ligt, aos 52’, quando Malan, isolado por um passe de calcanhar de Depay, permitiu que Tomas Vaclik lhe roubasse a bola. A partir daí, foi o desnorte neerlandês, que quebrou emocionalmente de forma definitiva depois do segundo golo da República Checa, que está assim nos quartos de final neste regresso às grandes competições, depois de falhar o Euro 2016 e o Mundial 2018.