Tribuna Expresso

Perfil

Euro 2020 - descrição

Euro 2020 - descrição

Euro 2020

Mancini: "A Espanha é extraordinária. Houve uma mudança de geração, mas são jovens muito fortes"

O experiente selecionador transalpino, de 56 anos, alerta para a “mentalidade da la roja, que domina o futebol mundial há vários anos”, pelo que considera que “não vai mudar agora”. Espanha-Itália, para a meia-final do Euro 2020, joga-se esta noite (20h, TVI)

Lusa

Claudio Villa

Partilhar

O selecionador Roberto Mancini destacou a “mudança geracional” e a “juventude muito forte” da Espanha, que tem tudo para criar dificuldades à Itália, no encontro da meias-finais do Euro 2020 de futebol.

"Será um jogo difícil. A Espanha tem um jogo diferente do da Bélgica [nos quartos de final]. Com a Áustria, nos ‘oitavos’, foi difícil para nós, porque eles são agressivos, impediram-nos de jogar. A Espanha é extraordinária. Agora, houve uma mudança de geração, mas são jovens muito fortes”, começou por dizer Roberto Mancini, na antevisão ao desafio de terça-feira, em Londres.

O experiente selecionador transalpino, de 56 anos, alerta para a “mentalidade da la roja, que domina o futebol mundial há vários anos”, pelo que considera que “não vai mudar agora”.

Para o encontro no Estádio de Wembley, que terá cerca de 60 mil espetadores nas bancadas, Mancini não aponta favoritos e lamenta que muitos adeptos italianos não possam deslocar-se à capital inglesa para apoiar a seleção, devido às restrições motivadas pelo novo coronavírus.

"Parece-me errado que não possa haver adeptos vindos da Itália. Não gosto que não haja metade dos adeptos espanhóis e metade italianos", apontou.

Por fim, deixou elogios ao homólogo espanhol Luis Enrique: “Ele é muito bom. Não apenas porque ganhou a Liga dos Campeões com o FC Barcelona, mas porque todas as suas equipas jogam bom futebol. Isso revela capacidade”.

Por sua vez, também o defesa central Leonardo Bonucci marcou presença na conferência de imprensa remota, para colocar-se ao lado do espanhol Álvaro Morata, que recebeu críticas e ameaças durante a competição.

“É um amigo, um grande pai e uma pessoa extraordinária. É um grande avançado e um grande amigo. É um avançado que oferece muitas coisas à sua equipa e um dos melhores do mundo. Amanhã [terça-feira] vai existir uma enorme pressão, é preciso estar atento e eu tenho a sorte que jogue no meu clube [Juventus]”, elogiou.

Sobre a seleção espanhola, Bonucci manifestou respeito e enalteceu o crescimento notório do adversário.

“A Espanha, além da sua história, mostrou que está a crescer. Eles [jogadores] merecem o nosso respeito. Ambos temos um estilo e devemos ter cuidado com os seus movimentos sem a bola, será necessária muita atenção quando não tivermos a bola”, concluiu.

Além de Itália e Espanha, que se defrontam na terça-feira, a partir das 20h00, também Inglaterra e Dinamarca vao discuitir um lugar na final, no Estádio de Wembley, em Londres, mas na quarta-feira, à mesma hora.

  • Itália-Espanha: duelo entre nações aparentadas
    Euro 2020

    A primeira meia-final do europeu põe à prova as seleções de dois países que já se dominaram reciprocamente. Se Roma ocupou a Península Ibérica há dois mil anos, há seis séculos era o Levante espanhol que dominava as ilhas hoje italianas do Mediterrâneo e todo o sul do país. Mas Espanha chegou a eleger (!) um rei nado e criado em Itália e, mais recentemente, o fascismo transalpino foi fonte de inspiração para a ditadura de Franco

  • As meias-finais do Europeu são um hino ao divertimento
    Euro 2020

    Além de todas terem vindo do privilégio de jogarem em casa neste Europeu, no Itália-Espanha de terça-feira (20h, TVI) e no Inglaterra-Dinamarca do dia seguinte (20h, RTP) vão estar as seleções que, com as devidas diferenças na abordagem, mais fizeram por jogar de forma atrevida, ousada e atacante. A recompensa é estarem a um passo do jogo mais decisivo de todos