Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Euro 2020

Golpe de teatro

A longa espera de 55 anos a que os ingleses se sujeitaram poderia não ter acabado com um árbitro caseiro a levá-los ao colo para casa, escreve Bruno Vieira Amaral, que descreve o momento como "um capital de simpatia e reconhecimento conquistado a pulso e desperdiçado com um desmaio, um truque"

Bruno Vieira Amaral

LAURENCE GRIFFITHS

Partilhar

Tanta simpatia tinha de acabar assim. Não é, Inglaterra? A longa espera por uma final merecia acabar de outra maneira e não assim, com o futebol a ser levado para casa ao colo de um árbitro caseiro. Mas tinha de ser assim.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler