Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Aníbal Pinto sobre acusação de extorsão: “Só me prontifiquei para negociar um contrato de prestação de serviços”

O advogado que ajudou Rui Pinto em 2015 garante que tudo o que fez foi “dentro da legalidade”

Miguel Prado

Pedro Nunes

Partilhar

"Tudo o que fiz foi enquanto advogado e dentro da legalidade", declarou esta quarta-feira o advogado Aníbal Pinto, arguido no processo em que Rui Pinto é acusado pelo Ministério Público de 147 crimes relacionados com o Football Leaks.

Ao chegar ao Campus da Justiça, em Lisboa, para o debate instrutório do processo, Aníbal Pinto também negou a acusação de ter participado numa tentativa de extorsão. Rui Pinto é acusado de ter tentado extorquir a Doyen em 500 mil a um milhão de euros, com a ajuda de Aníbal Pinto.

"Eu como advogado só me prontifiquei para negociar um contrato de prestação de serviços com outro advogado", declarou Aníbal Pinto, numa referência aos contactos mantidos com os advogados da Doyen entre Setembro e Outubro de 2015.

"Está tudo documentado e os elementos extraídos das escutas de que fui alvo são-me favoráveis", acrescentou Aníbal Pinto.

Já o advogado de Rui Pinto, Francisco Teixeira da Mota, confirmou que Rui Pinto "não vem falar" e que não pediu para falar "nesta fase". "Ele falará quando tiver que falar", afirmou aos jornalistas antes do debate instrutório.