Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

A PJ já testou passwords e material de desencriptação, mas o material cedido por Rui Pinto não pode servir de prova

Rui Pinto já cedeu passwords à PJ. Discos podem ter indícios sobre Luanda Leaks e o Benfica

Rui Gustavo

Rui Pinto, aqui fotografado em Budapeste, está em prisão preventiva em Lisboa desde março de 2019.

Maria Feck

Partilhar

A Polícia Judiciária já testou com sucesso as passwords e o material de desencriptação cedidos por Rui Pinto. Os investigadores ainda não tiveram acesso a toda a informação contida nos dez discos externos que foram apreendidos ao alegado hacker quando este foi detido na Hungria e que estavam de tal forma encriptados que a polícia nunca os conseguiu abrir.

Mas de acordo com uma fonte judicial, é expectável que o Rui Pinto, fundador do Football Leaks, guarde nesses discos informação sobre Isabel dos Santos, já que foi ele a fonte (cedeu um disco rígido) que esteve na base do Luanda Leaks. No entanto, essa informação nunca pode servir de prova no processo judicial que já está a ser investigado no Departamento Central de Investigação e Ação Penal pelo procurador Rosário Teixeira. “Foi obtida de forma ilegal e por isso não pode servir de prova. Mas pode servir como informação ou como notícia de crime que terá de ser corroborada por outros meios de prova”, explica a mesma fonte.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.