Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Ana Gomes: “Os Luanda Leaks mostraram que isto não é só sobre futebol e que Rui Pinto não foi motivado por rivalidades entre adeptos”

Antiga eurodeputada falou ao portal norte-americano "The Athletic" e defendeu as motivações de Rui Pinto, sublinhando que o denunciante "revelou coisas de todos os grandes clubes de Portugal" e agiu na defesa "do interesse público"

Tribuna Expresso

Maria Feck

Partilhar

Em prisão domiciliária desde abril, Rui Pinto é o protagonista de um perfil/ponto de situação no portal norte-americano "The Athletic". E nele, Ana Gomes defendeu mais uma vez as motivações do denunciante, usando o Luanda Leaks para provar que as revelações de Rui Pinto vão muito para lá de trica futebolística, acusação recorrente por Rui Pinto ser um confesso adepto do FC Porto e por o clube ter tido acesso a vários emails que incriminariam o Benfica primeiro do que as autoridades.

"Rui Pinto revelou coisas de todos os grandes clubes de Portugal", começa por sublinhar a antiga eurodeputada, que diz não ter dúvidas que o português agiu com o interesse público em mente. "Os Luanda Leaks mostraram que isto não é só sobre futebol e que ele não foi motivado por rivalidades entre adeptos", frisa.

"Tenho a impressão que o seu trabalho com o Football Leaks foi muito importante para lhe desenvolver uma consciência política, um entendimento daquilo que é um denunciante. Não tenho dúvidas que ele tem noção do que fez e não tenho dúvidas que ele agiu pelo interesse público. Foi um ato consciente de cidadania", refere Ana Gomes ao "The Athletic".

Ana Gomes diz ainda esperar que as revelações de Rui Pinto sejam levadas em conta pela justiça portuguesa.

"Ele pode ter cometido alguns crimes, mas deve ser tomado em consideração o extraordinário serviço público que fez. Rui Pinto já é visto como um herói por muitos em Portugal", diz.

Rui Pinto foi colocado em prisão domiciliária em abril após mais de mais de um ano em prisão preventiva no estabelecimento prisional da Polícia Judiciária, depois de aceitar colaborar com a PJ.