Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Doyen: a história de um alvo de Rui Pinto, uma teia de empresas e uma conta congelada

Quando ainda era liderada por Nélio Lucas, a maltesa Doyen Sports entregou na PJ a queixa-crime que levaria à detenção de Rui Pinto. Hoje nem Rui vive incógnito nem Nélio comanda a Doyen. O que aconteceu afinal à promissora aposta da família Arif no futebol europeu e ao seu emaranhado de empresas em Malta e Londres?

Miguel Prado

Secretismo. Nélio Lucas na única vez em que se deixou fotografar nos escritórios da Doyen Sports Investments, em Londres

FOTO Stéphane Lagoutte/REA/4see

Partilhar

Na sua contestação para o julgamento que arranca esta sexta-feira a defesa de Rui Pinto joga ao ataque. “Chega a ser repugnante que uma entidade como a assistente Doyen Sports Investments pretenda dar lições de moral e ética ao arguido sobre whistleblowers, quando é uma pessoa colectiva com um pesado cadastro, como mais adiante se demonstrará”, pode ler-se no documento. Criada em 2011, a Doyen participou em negócios com passes de jogadores que entretanto a FIFA proibiu, colecionou inimigos, de que Rui Pinto e Bruno de Carvalho são apenas alguns exemplos, e teve, na ressaca de Football Leaks, de se reorganizar.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.