Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Julgamento Rui Pinto. João Medeiros ficou transtornado com ataque à PLMJ, mas admite que não perdeu clientes

Advogado visado no blog Mercado de Benfica foi ouvido no julgamento de Rui Pinto, que o Ministério Público acusa de ser responsável pelo ataque à PLMJ

Miguel Prado

Rui Pinto foi entrevistado pela Der Spiegel em Lisboa.

Sonja Och / Der Spiegel

Partilhar

“No fim do dia, eu não perdi clientes por causa deste ataque”, declarou o antigo advogado da PLMJ e um dos alvos do ataque informático que alimentou o blog Mercado de Benfica e que o Ministério Público [MP] atribui a Rui Pinto no julgamento relativo ao Football Leaks.

Apesar disso, Medeiros relatou o transtorno provocado pelo ataque que levou nove gigabytes e 29 mil e-mails seus. “De cada vez que íamos a uma sessão do processo e-Toupeira, no dia seguinte eram publicados no Mercado de Benfica os áudios dos interrogatórios. Gerava um enorme mal-estar”, declarou o advogado em tribunal.

Segundo João Medeiros, ele próprio ficou mal-visto por alguns colegas seus ligados à advocacia de negócios que o associaram aos problemas da PLMJ pelo patrocínio jurídico dado ao Benfica a partir de setembro de 2018.

“Muitos colegas meus passaram a olhar para mim e a responsabilizar-me: 'tu, ligado ao futebol... não fosses tu e nós não tínhamos tido estes problemas'”, contou João Medeiros.

O advogado diz ainda hoje viver com receio de que os seus e-mails e documentos voltem a ser publicados. “Passaram-se dois anos e tenho a noção de que houve pessoas que descarregaram a informação. Há dois meses fiz uma contestação num outro processo [relativo à EDP e a António Mexia] e o MP, em resposta, cita numa nota de rodapé um e-mail para o doutor Ricardo Sá Fernandes. Não é uma situação confortável para mim”, argumentou João Medeiros.