Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Football Leaks: PJ recebeu provas de Rui Pinto em Budapeste sem as verificar

Inspetor José Amador diz que extradição foi feita com "pragmatismo" e garante que os discos abertos pelas autoridades húngaras não manipularam a informação

Miguel Prado

Rui Pinto foi entrevistado pela Der Spiegel em Lisboa.

Sonja Och / Der Spiegel

Partilhar

O inspetor José Amador, da Polícia Judiciária, admitiu que quando foi buscar Rui Pinto a Budapeste, em março de 2019, recebeu o saco de provas e assinou a respetiva relação de bens sem o abrir e verificar o conteúdo.

Em tribunal, defendeu que atuou com "pragmatismo" e que se operação semelhante fosse feita em Portugal "noutras condições haveria possibilidade de desselar, verificar e voltar a selar".

Ao receber essas provas o inspetor trouxe para Lisboa 24 elementos de prova em vez dos 26 apreendidos na detenção de Rui Pinto. Mas, além de faltarem 2 elementos (papéis e cabos USB), todos os outros 24 elementos tinham os seus selos violados.

Em tribunal o inspetor relatou que a informação recebida de Budapeste foi que em março a polícia húngara de investigação foi à esquadra buscar as provas para as analisar, na sequência de um pedido de informação e cooperação das autoridades francesas.

José Amador defendeu que o material, embora aberto em Budapeste, não foi adulterado, pois os registos digitais feitos em Lisboa são similares aos de Budapeste. Além disso, sustentou José Amador, o facto de nove discos encriptados terem sido abertos mais tarde com senhas fornecidas por Rui Pinto mostra que esses discos e os seus ficheiros não foram corrompidos ao serem abertos pelas autoridades húngaras.

Embora o inspetor tenha afastado a possibilidade de o conteúdo dos discos ter sido adulterado, a juíza Margarida Alves observou como legítima a preocupação da defesa de Rui Pinto com o ocorrido em Budapeste. "A partir do momento em que as coisas não são feitas segundo as regras todo um mundo de dúvidas se abre", notou a magistrada.

O depoimento de José Amador, testemunha convocada pelo Ministério Público, prosseguirá durante a tarde.