Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Football Leaks

Football Leaks: Advogado suíço acusa FPF de "passividade total e dolosa" sobre conflitos de interesses dos agentes

Philippe Renz, arrolado como testemunha pela defesa de Rui Pinto, já fez uma denúncia ao DCIAP, mas desconhece se houve algum inquérito aberto

Miguel Prado

Rui Pinto foi entrevistado pela Der Spiegel em Lisboa.

Sonja Och / Der Spiegel

Partilhar

O advogado suíço Philippe Renz, que testemunhou esta quarta-feira no julgamento de Rui Pinto, assinalou que o Football Leaks revelou "vários casos" de conflitos de interesse e dupla representação no futebol, acusando a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de "passividade total e dolosa" sobre esses conflitos de interesses de alguns agentes que representam ao mesmo tempo jogadores e clubes.

A FPF tinha "obrigação de denunciar estes casos e não o fez", afirmou o advogado, reconhecendo que esse problema de falta de ação contra a dupla representação é generalizada no futebol mundial, salvo algumas excepções, como a Bélgica.

Em tribunal Philippe Renz lembrou que em 2017 fez uma exposição à FIFA sobre a FPF e outras sete federações.

E admitiu ainda ter feito mais tarde uma denúncia ao DCIAP, que o Expresso revelou no início de 2020, elencando uma dezena de casos no futebol português de dupla representação a partir de listas de transações disponíveis no site da FPF.

"O DCIAP disse-me que as informações seriam úteis mas não tive qualquer novidade desde dezembro de 2019", afirmou Philippe Renz.

No seu testemunho, Renz também defendeu que as revelações do Football Leaks foram importantes para introduzir maior transparência no futebol, tendo em particular na Suíça levado à abertura de processos disciplinares para investigar encontros secretos entre procuradores suíços e responsáveis da FIFA, revelados em 2018 pelo Football Leaks.