Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

GP do Brasil de Fórmula 1 vai mudar-se para o Rio de Janeiro. Novo autódromo terá nome de lenda: Ayrton Senna

O anunciou surgiu após a assinatura de um termo de cooperação entre Jair Bolsonaro, o governador Wilson Witzel e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, para a construção de um novo autódromo no Rio de Janeiro

Lusa

Paul-Henri Cahier

Partilhar

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, anunciou na quarta-feira que o Grande Prémio do Brasil de Fórmula 1 poderá realizar-se no Rio de Janeiro em 2020, encerrando um ciclo de 30 anos em que o evento decorreu em São Paulo.

O anunciou surgiu após a assinatura de um termo de cooperação entre Jair Bolsonaro, o governador Wilson Witzel e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, para a construção de um novo autódromo no Rio de Janeiro.

"São Paulo, como tinha participação pública e uma dívida enorme, tornou inviável a sua permanência da Fórmula 1. Então, vieram para o Rio de Janeiro e a construção será concluída em seis ou sete meses após o início das obras. Além de aquecer o setor hoteleiro, serão gerados cerca de sete mil empregos diretos e indiretos. Ganha o Rio de Janeiro e o Brasil", afirmou à imprensa o chefe de Estado brasileiro.

O novo equipamento desportivo será erguido em Deodoro, na zona Oeste da cidade, num terreno cedido pelo Exército, e terá capacidade para até 130 mil pessoas.

"Com o objetivo de receber novamente as provas de Fórmula 1 e Moto GP, o novo autódromo deverá ficar pronto no próximo ano", declarou o governo do Rio de Janeiro na sua página da Internet.

De acordo com o Jair Bolsonaro, não haverá utilização de recursos públicos na obra, e o novo autódromo terá o nome de Ayrton Senna, em homenagem ao antigo piloto brasileiro de Fórmula 1, três vezes campeão mundial, e falecido há 25 anos.

"Após a nossa vitória nas eleições, a Fórmula 1, que iria embora do Brasil, decidiu não só permanecer, mas também construir um novo autódromo no Rio de Janeiro, que terá o nome do ídolo Ayrton Senna. Com isso, milhares de empregos serão criados, beneficiando a economia e a população do estado. Importante ressaltar que o investimento será totalmente de iniciativa privada, com custo zero para os cofres públicos", escreveu Bolsonaro na rede social Twitter.

De acordo com o portal de notícias G1, o orçamento inicial do novo autódromo do Rio de Janeiro é de 850 milhões de reais (cerca de 193 milhões de euros).

Para Wilson Witzel, acolher a competição internacional será altamente atrativo para o Estado.

"A Fórmula 1 iria deixar o Brasil. Após unirmos forças com o Governo Federal e o Município, conseguimos convencer que o Brasil voltou a ser um país sério e com um futuro próspero. O embaixador da Inglaterra procurou-nos aqui no Rio de Janeiro e, com o esforço e cooperação de todos, vamos permitir que o Estado seja novamente mais um polo de atração turística com a Fórmula 1", frisou o governador.

A última edição da Fórmula 1 no Rio de Janeiro foi realizada em 1989, no autódromo que existia em Jacarepaguá. O local, que foi demolido, deu lugar ao Parque Olímpico dos Jogos que decorreram no Rio de Janeiro, em 2016. A partir de 1990, a competição passou para São Paulo, no autódromo de Interlagos.