Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Michael Schumacher estará em Paris a receber um tratamento de células estaminais

O antigo campeão do mundo de Fórmula 1, que não é visto em público desde dezembro de 2013, após sofrer um acidente de ski nos Alpes suíços, terá sido visto a dar entrada no hospital Georges-Pompidou, na capital francesa, onde estará a receber uma transfusão de células estaminais

Diogo Pombo

Darren Heath Photographer

Partilhar

Terá chegado dentro de uma ambulância pintada a amarelo e azul, como tantas outras, mas distinguida por uma matrícula suíça, país onde a família reside. As portas do veículo abrem-se e, deitado numa marca, sai um corpo coberto da cabeça aos pés e rodeado por cerca de 10 pessoas e dá entrada no serviço cardiovascular do hospital Georges-Pompidou, em Paris. Faltava pouco tempo para as 16 horas locais, de segunda-feira.

Este é o relato do "Le Parisien" sobre o que terá sido a chegada de Michael Schumacher à instituição para ficar ao cuidado de Philippe Menasché, um cirurgião cardíaco francês, retratado pelo jornal francês como "pioneiro na terapia celular para curar insuficiências cardíacas".

O mito vive

É ainda hoje o maior campeão da história da Fórmula 1, com sete títulos, e há cinco anos que pouco ou nada se sabe do seu estado de saúde, após um acidente nos Alpes franceses enquanto esquiava. Começou quase sem nada, competindo com um kart feito dos restos de outros karts e tornou-se uma lenda. Ultra competitivo e implacável nas pistas, Domingos Piedade, que deu um empurrão decisivo para que Michael Schumacher se tornasse Michael Schumacher e é o português que melhor o conheceu, diz que o alemão é um homem bom. Que faz falta e que faz esta quinta-feira 50 anos

Em 2014, o médico gaulês injetou células cardíacas embrionárias no coração de um paciente, primeira vez que se realizou este tipo de intervenção na história da medicina. O "Le Parisien" não precisa se Michael Schumacher deu entrada no hospital para receber um tratamento deste tipo, mas noticia que o alemão, de 50 anos, já teria lá estado, pelo menos duas vezes, durante a última primavera. Em ambas as ocasiões chegou de helicóptero ao hospital parisiense.

Ninguém da instituição sequer comentou a notícia.

Michael Schumacher tem 50 anos e, em dezembro de 2013, sofreu um acidente de ski em Méribel, nos Alpes franceses. Sofreu um grave traumatismo craniano, foi sujeito a uma intervenção cirúrgica e esteve cerca de seis meses em coma num hospital em Grenoble. Desde então que as informações tornadas públicas pela família são limitadas e o verdadeiro estado de saúde do alemão continua a ser uma incógnita.

Schumacher foi sete vezes campeão mundial de Fórmula 1 entre 1994 e 2004. Ganhou o primeiro par de títulos ao volante de um monolugar da Benetton e os restantes com a Ferrari, equipa com qual se tornou, de facto, um símbolo da modalidade em que acumulou 91 vitórias em Grandes Prémios e 68 pole positions.

  • O mito vive

    Fórmula 1

    É ainda hoje o maior campeão da história da Fórmula 1, com sete títulos, e há cinco anos que pouco ou nada se sabe do seu estado de saúde, após um acidente nos Alpes franceses enquanto esquiava. Começou quase sem nada, competindo com um kart feito dos restos de outros karts e tornou-se uma lenda. Ultra competitivo e implacável nas pistas, Domingos Piedade, que deu um empurrão decisivo para que Michael Schumacher se tornasse Michael Schumacher e é o português que melhor o conheceu, diz que o alemão é um homem bom. Que faz falta e que faz esta quinta-feira 50 anos