Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Ricciardo fez uma lista com os seus cinco rivais mais subvalorizados da F1. Chama-lhe o “diário do Dan” e obviamente há surpresas

O piloto da Renault escreveu um longo post nas redes sociais em que escolhe o seu top-5 de tipos rápidos que nunca tiveram o apreço adequado ao talento

Tribuna Expresso

Ricciardo com o sorriso e pose inconfundíveis

Marco Canoniero

Partilhar

Jules Bianchi

"Não é que fosse subvalorizado, mas nunca o conseguimos ver num carro, ao máximo [o francês faleceu num acidente de F1, em 2015], portanto as pessoas nunca conseguiram apreciar o quão bom ele podia ser. Estou a pensar nos pontos que ele fez no GP do Mónaco, em 2014, com a Marussia... O Mónaco é como Macau, um resultado assim não acontece por acaso, foi mérito dele. Conheci-o muito jovem e toda a gente o tratava já como um piloto de F1. Ficámos amigos. Sinto que o Charles [Leclerc, da Ferrari] está a fazer o que o Jules poderia ter feito"

Jenson Button

"Como é que podemos dizer que um campeão do Mundo de F1 foi subvalorizado? Escutem.. O Jenson teve anos importantes na F1, mas em 2011, ele era colega do Lewis Hamilton e venceu-o, de forma honesta e leal, portanto entra nesta minha lista. Continua a ser o melhor piloto em condições intermédias, com a pista não demasiado molhada nem totalmente seca."

Marcus Ericsson

"Em 2018, com a Alfa Romeo, conseguimos ver a velocidade que ele tinha no confronto com o Charles [Leclerc] no início do ano. Com o andamento da época, o Charles melhorou, mas a velocidade do Marcus foi um bocadinho subavaliada.

Tonio Liuzzi

“O Liuzzi é um dos melhores pilotos de kart que alguma vez pisaram o planeta Terra. Até para mim, que crescia nos karts na Austrália, os jornais australianos traziam sempre o Liuzzi, era o Schumacher do karting. Quando cheguei à F1, à HRT [foram colegas de equipa] o Liuzzi estava no final da carreira na F1 e hoje posso dizer que o subvalorizei. Fui apanhado de surpresa pela sua velocidade e de levar o carro até aos limites numa volta."

Roberto Merhi

"Era um pouco como o Max [Verstappen]. Tinha um controlo brutal sobre o monolugar, tinha velocidade e também a ausência de medo. Acho que as coisas lhe correram pior a partir do momento em que a gestão dos pneus se tornou um fator importante: o seu estilo era o da Fórmula Renault."