Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Em julho deverá haver Fórmula 1, mas sem público

Os Grande Prémios da Áustria e de Inglaterra são os primeiros que estão agendados para julho e deverá ser por essa altura que a Fórmula 1 arrancará a competição. A ideia é terminar o mundial em dezembro com 15 a 18 corridas feitas, revelaram, esta segunda-feira, os promotores da modalidade

Lusa

Mark Thompson/Getty

Partilhar

Os GP de Fórmula 1 da Áustria (5 de julho) e Inglaterra (19 de julho) deverão mesmo realizar-se, mas sem público nos circuitos, anunciaram, esta segunda-feira, os promotores, que esperam concluir a época em dezembro, "após 15 a 18 corridas".

O norte-americano Chase Carey, responsável máximo da competição, anunciou hoje que a corrida que se deverá realizar no Red Bull Ring, em Spielberg, acontecerá provavelmente "sem espetadores", marcando o início da competição.

"Antevemos o início das corridas na Europa em julho, agosto e início de setembro. A primeira será na Áustria", escreveu aquele responsável, num comunicado, em que fica claro o plano para a realização do campeonato deste ano.

"Em setembro, outubro e novembro deveremos cobrir a Eurásia, Ásia e Américas, terminando a temporada no Golfo [Pérsico] em dezembro, com a prova do Bahrain, antes da final em Abu Dhabi, após termos realizado 15 a 18 corridas", lê-se.

Chase Carey revelou, ainda, que as primeiras corridas "deverão desenrolar-se sem espetadores".

"Ainda temos de definir uma série de questões, como os procedimentos de entrada [nos circuitos] e o funcionamento de cada equipa e os nossos restantes parceiros em cada país", explicou ainda o mesmo responsável.

Para além do GP da Áustria, a 05 de julho, também o GP de Inglaterra, previsto para 19 de julho, deverá acontecer sem público.

Isso mesmo foi assumido já pelos responsáveis do circuito britânico numa carta enviada aos adeptos que já tinham adquirido bilhetes.

O diretor do circuito de Silverstone, Stuart Pringle, escreveu aos adeptos a explicar que "não será possível deixar entrar" público no complexo devido às exigências do distanciamento social impostas pelo novo coronavírus.

"Temos claro, nesta altura, que dadas as condições atuais e as exigências do Governo, não será possível realizar um GP em condições normais", explicou Stuart Pringle, numa carta aos adeptos enviada esta segunda-feira.

Aqueles que já compraram ingressos poderão reaver o dinheiro pago ou manter o bilhete para a edição de 2021.

Desde o início da pandemia de covid-19 já foram adiadas ou canceladas dez das 22 corridas previstas no calendário mundial.

A mais recente a ser cancelada foi a prova francesa, prevista para o circuito de Paul Ricard.

O GP da Áustria, a 05 de julho, é, agora, apontado como a primeira prova da temporada.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 204 mil mortos e infetou mais de 2,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.Perto de 800 mil doentes foram considerados curados.