Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

O concretizar de um namoro antigo: Daniel Ricciardo na McLaren a partir de 2021. E Sainz confirmado na Ferrari

Australiano deixa a Renault e será colega de equipa de Lando Norris na próxima temporada. Vai substituir Carlos Sainz, já confirmado na Ferrari para 2021 e 2022

Lídia Paralta Gomes

Ricciardo com o sorriso e pose inconfundíveis

Marco Canoniero

Partilhar

Ainda nem sequer houve ação nas pistas esta temporada e já começou a dança das cadeiras para 2021 na Fórmula 1. A McLaren anunciou esta quinta-feira a contratação de Daniel Ricciardo, que no próximo ano fará dupla com Lando Norris na equipa de Woking. Numa nota publicada no site oficial, a McLaren agradeceu a Carlos Sainz, de saída para a Ferrari, que também já confirmou o espanhol. Sainz será o substituto de Sebastian Vettel, que no início da semana anunciou a saída da escuderia italiana, e será colega de equipa de Charles Leclerc em 2021 e 2022.

"Assinar com o Daniel é mais um passo à frente no nosso plano a longo prazo e vai trazer uma nova e entusiasmante dimensão à equipa, ao lado do Lando", diz Zak Brown, CEO da McLaren, que agradeceu ainda a Carlos Sainz "pelo excelente trabalho que fez, ao ajudar-nos no nosso plano de recuperação de desempenho".

Ricciardo, de 30 anos, concretiza assim um namoro antigo com a McLaren: antes de assinar um dos mais lucrativos contratos da grelha com a Renault para 2019 e 2020, o australiano esteve a um passo da McLaren. As dificuldades da Renault em 2020 (foi apenas 5.ª no campeonato de construtores) e o facto da McLaren na próxima temporada passar a ter motores da Mercedes terão pesado na decisão de Ricciardo, vencedor de sete grandes prémios com a Red Bull, equipa que deixou no final de 2018.

A McLaren não revelou pormenores do contrato do piloto natural de Perth, mas será um vínculo "multi-anual".

Já Carlos Sainz, que em 2019 se viu na eminência de não ter lugar na grelha, chega a uma das equipas de topo na Fórmula 1, depois de uma primeira temporada de grande nível na McLaren, onde foi o melhor piloto fora das três grandes equipas.