Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Oito meses depois, a Fórmula 1 está de volta. E nos treinos livres do GP Áustria deu Hamilton e Mercedes

O mundo até pode ter mudado, mas nas pistas de Fórmula 1 está igual: no primeiro dia de ação da época 2020, Lewis Hamilton e a Mercedes dominaram. Bottas foi 2.º e Sergio Perez deu os primeiros sinais de que a Racing Point se pode intrometer entre as equipas grandes

Lusa

Dan Istitene - Formula 1/Getty

Partilhar

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) foi esta sexta-feira o mais rápido nas duas primeiras sessões de treinos livres para o Grande Prémio da Áustria de Fórmula 1, no circuito Red Bull Ring, em Spielberg, nesta que é a primeira prova da temporada cujo início foi atrasado devido à pandemia de covid-19.

Hamilton estabeleceu o melhor tempo do dia na segunda sessão, fazendo a melhor volta em 1.04,304 minutos.

O finlandês Valtteri Bottas, noutro Mercedes, foi o segundo mais rápido nas duas sessões, ficando a 197 milésimos de segundo do seu companheiro de equipa.

A surpresa foi o terceiro lugar do mexicano Sérgio Pérez, num Racing Point equipado com motores Mercedes e com um desenho muito semelhante ao carro com a que equipa germânica foi campeã em 2019. Pérez ficou a 641 milésimos de Hamilton.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) foi o quarto mais rápido, a 657 milésimos, seguido do australiano Daniel Ricciardo (Renault), que ficou em quinto, a 668 milésimos.

Os dois pilotos estão de saída das respetivas equipas no final da presente temporada. Ricciardo rumará à McLaren enquanto Vettel procura ainda um lugar para a próxima época.

Este regresso da Fórmula 1 tem sido marcado pelas medidas de proteção da covid-19, com o uso generalizado de máscaras e a distância de segurança bem visível, por exemplo, nas entrevistas.

O circuito austríaco, propriedade da Red Bull, não receberá espectadores.

Lewis Hamilton parte para esta temporada com a possibilidade de conquistar o sétimo título mundial da sua carreira, igualando, assim, o feito conseguido apenas pelo alemão Michael Schumacher (1994, 1995, 2001, 2002, 2003 e 2004).

Sem calendário definido, sem pódio, sem champanhe, mas com recordes para bater: um guia para a nova temporada da F1

A temporada de 2020 da Fórmula 1 arranca este fim de semana na Áustria, mais de três meses depois do previsto, 217 dias após o GP Abu Dhabi de 2019. A culpa é da covid-19 e da pandemia que vai afetar de tudo um pouco na nova época: do calendário (que poderá ter Portimão), até à vida no <em>paddock. </em>Mas também há coisas que nunca mudam: Lewis Hamilton pode tornar-se estatisticamente no melhor piloto de sempre e o mercado também não parou em tempos do novo coronavírus