Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

O fim de semana quase perfeito de Lewis Hamilton no descalabro da Ferrari

Corrida sem erros do britânico da Mercedes, que conseguiu no GP Estíria a sua 85.ª vitória na carreira. Há 14 temporadas consecutivas que Hamilton vence pelo menos uma corrida. Bottas (Mercedes) foi 2.º e manteve a liderança do Mundial e Verstappen (Red Bull) 3.º. Os Ferrari engalfinharam-se na 1.ª volta e a corrida acabou ali para a equipa italiana

Lídia Paralta Gomes

Dan Istitene - Formula 1/Getty

Partilhar

Foi mais uma daquelas corridas em que a realização quase nem deu tempo de antena a Lewis Hamilton, tal o domínio do britânico em pista. A ação, claro, estava lá mais para trás, enquanto Hamilton geria como queria o GP Estíria, no Red Bull Ring, na Áustria. O seis vezes campeão mundial só não esteve na liderança quando veio às boxes trocar os pneus macios com que iniciou a prova para médios - o colega na Mercedes, Valtteri Bottas esteve então momentaneamente na frente.

O finlandês terminou em segundo, depois de conseguir ultrapassar um Max Verstappen (Red Bull) com pneus mais desgastados a apenas 4 voltas do final. Uma estratégia que funcionou de forma perfeita para Bottas - e para a Mercedes -, que parou mais tarde que Verstappen para trocar de pneus.

Com esta vitória, a 85.ª da carreira, Lewis Hamilton chega a uma, mais uma, impressionante série: há 14 temporadas que o britânico ganha pelo menos uma corrida no Mundial de Fórmula 1.

Num GP menos acidentado que na última semana (menos para a Ferrari, mas já lá vamos), a luta pelos pontos animou as últimas voltas, com Lando Norris (McLaren), depois do 3.º lugar há sete dias, a subir de 8.º para 5.º, aproveitando os problemas do Racing Point de Sérgio Perez (6.º, depois de partir de 17.º) e a luta entre Lance Stroll (Racing Point) e Daniel Ricciardo (Renault).

O fim de semana só não foi perfeito para Lewis Hamilton porque Carlos Sainz (McLaren) montou pneus macios na fase final da corrida, acabando por roubar o ponto extra da volta mais rápida ao britânico - o espanhol terminou em 9.º depois de arrancar de 3.º, muito culpa de uma paragem falhada nas boxes a meio da corrida.

Um dia para esquecer na Ferrari

O tormento da Ferrari neste arranque de temporada continua e desta vez nem sequer se pode culpar a falta de ritmo do SF 1000 face à concorrência. Um incidente logo na 1.ª volta deixou os dois carros italianos fora da corrida. Charles Leclerc, a arrancar de 14.º depois de uma penalização, tentou uma ultrapassagem demasiado otimista logo na curva 3 e embateu no colega Sebastian Vettel, destruindo a traseira do Ferrari do alemão.

Peter Fox/Getty

A corrida de Vettel terminou logo ali, enquanto Charles Leclerc ainda tentou continuar, mas o seu Ferrari tinha demasiados danos e o monegasco abandonou à 5.ª volta.

Leclerc pediu desde logo desculpas pela manobra que hipotecou irreversivelmente um fim de semana que já não estava a correr bem à Ferrari, depois da pobre qualificação no sábado.

O incidente significa zero pontos para a Ferrari, num Mundial ainda liderado por Valtteri Bottas, com 43 pontos, seguido por Lewis Hamilton, com 37 e Lando Norris, com 26.

O Mundial segue já na próxima semana para o GP Hungria.