Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Perez volta a testar positivo à covid-19 e penalização por copiar a Mercedes: um dia horrível para a Racing Point

Na mesma manhã em que soube que o mexicano ainda não está disponível para voltar ao monolugar, a Racing Point, que voltará a ter Nico Hulkenberg aos volantes no GP comemorativo dos 70 anos da F1, foi multada em 400 mil euros e viu-lhe retirados 15 pontos por copiar as condutas dos travões do Mercedes do ano passado

Lídia Paralta Gomes

Dan Istitene - Formula 1

Partilhar

O dia amanheceu com bastante sol em Silverstone, mas uma nuvem negra instalou-se para os lados da Racing Point. Mesmo antes de se iniciar o programa de festas do GP comemorativo dos 70 anos da Fórmula 1, a equipa viu Sergio Perez testar novamente positivo à covid-19 e a FIA atuar perante as queixas da Renault, que logo no GP da Estíria protestou oficialmente contra o carro da equipa que tem sede, precisamente, em Silverstone, protesto esse repetido nos GP Hungria e GP Grã-Bretanha.

Assim, tal como no GP Grã-Bretanha, há uma semana, Nico Hulkenberg irá substituir o mexicano, que apesar de já ter cumprido a quarentena obrigatória ainda não está recuperado da covid-19. A Racing Point diz que Perez está “fisicamente bem e a recuperar”.

Hulkenberg terá assim nova oportunidade, depois de na semana passada nem sequer ter partido, após um problema mecânico no Racing Point detetado ainda no pit lane.

As más notícias para a Racing Point não se ficaram por aí, com a FIA a anunciar também esta sexta-feira que aceitou o protesto da Renault, que acusou a Racing Point de copiar as condutas dos travões do RP20 do Mercedes de 2019.

As suspeitas quanto às semelhanças entre o Racing Point deste ano e o Mercedes da temporada passada chamaram a atenção das restantes equipas logo nos treinos de inverno, em Barcelona, com a Racing Point a admitir que o seu carro deste ano tinha por base o monolugar campeão do Mundo, mas sem infringir os regulamentos.

Avaliação diferente parece ter tido a FIA, que deu razão à Renault. Pelo protesto no GP da Estíria, a FIA retirou 15 pontos à Racing Point na classificação dos construtores, 7,5 por cada carro – Sergio Perez e Lance Stroll vão, no entanto, manter os pontos conquistados para o Mundial de pilotos. A equipa foi ainda multada em 400 mil euros. Pelos dois protestos que se seguiram, na Hungria e Silverstone, a Racing Point recebeu apenas uma reprimenda.

A Racing Point vai, no entanto, continuar a utilizar as condutas dos travões consideradas irregulares durante o ano, já que a sanção cobre toda a temporada.