Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

FIA confirma intenção de ter GP Portugal a 2 de maio mas ainda não há acordo final

Comissão da F1 reuniu-se esta quinta-feira e a presença do GP Portugal no calendário de 2021, a 2 de maio, está apenas dependente "do contrato com o promotor”

Lídia Paralta Gomes

Dan Istitene - Formula 1/Getty

Partilhar

A Federação Internacional do Automóvel confirmou esta quinta-feira, após reunião da Comissão da F1, que é sua intenção que seja o GP Portugal a ocupar o lugar que ainda se encontra vago no calendário de 2021, a 2 de maio, mas que o “acordo final ainda está dependente do contrato com o promotor”.

A Comissão da F1, que junta as equipas, a organização da F1 e a FIA, reuniu-se esta quinta-feira e confirmou ainda que os “protocolos robustos da covid-19”, que permitiram a realização da última temporada com 17 corridas vão permitir também que “haja Mundial em 2021”, mas que a situação “requer flexibilidade”. Ainda assim, para já, tudo está a ser feito para que o calendário “vá para a frente como planeado”.

O presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, Ni Amorim, já referiu várias vezes que o regresso do GP Portugal, repetindo a presença no calendário de 2020, está dependente da evolução da situação pandémica e do apoio do Estado. Em declarações à Tribuna Expresso, em janeiro, sublinhou que uma decisão final não poderá passar “de meados de março”.

Outra das opções, caso Portugal não entre no calendário, será uma jornada dupla no Bahrain.

Da reunião saíram ainda outras duas importantes decisões: o congelamento do desenvolvimento dos motores até 2022, votado por unanimidade por todas as equipas, e ainda o início de conversas para a mudança “do formato de qualificação em certas corridas”, pode ler-se no comunicado da FIA, abrindo portas a corridas sprint em alguns dos fins de semana de F1.

“Todas as equipas reconheceram a importância de chegar a mais fãs com novas e inovadoras formas de assegurar fins de semana mais entusiasmantes”, diz a FIA, que espera ter uma decisão final sobre esta possível mudança “antes do início do Mundial de 2021”.