Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Há duas semanas, o GP Turquia entrou no calendário de 2021 da F1. Mas já caiu

As restrições de viagens de Inglaterra para a Turquia tornaram a presença de Istambul no calendário para 2021 sol de pouca dura. A prova será substituída pelo GP Estíria, na Áustria, o que fará com que o Red Bull Ring volte a receber duas provas do calendário, tal como em 2020

Tribuna Expresso

Anadolu Agency/Getty

Partilhar

Há pouco mais de duas semanas, a Fórmula 1 anunciava o regresso do GP Turquia ao calendário, por troca com o Canadá, cujo governo não tinha concedido em matéria de período de isolamento para quem viajasse do estrangeiro.

E provando que a questão da pandemia ainda é mutável, agora é o próprio GP Turquia, marcado para o fim de semana de 11 a 13 de junho, que terá de cair, depois do Reino Unido colocar o país na lista vermelha, o que na prática colocaria em quarentena obrigatória boa parte do paddock já que a maioria das sedes das equipas está precisamente em Inglaterra.

Com tudo isto, e tal como em 2020, a Áustria vai voltar a receber duas provas do calendário, o que vai obrigar ainda à alteração das datas do GP França. Assim, o GP Estíria vai acontecer a 27 de junho, uma semana antes do GP Áustria, que se vai realizar na data original, 4 de julho. O GP França, em Paul Ricard, que deveria realizar-se na data agora alocada ao GP Estíria, muda para uma semana antes, a 20 de junho.

Em comunicado, a F1 sublinha ainda que a Turquia, tal como a China, disponibilizaram-se a receber a Fórmula 1 numa data mais adiantada do calendário, caso exista essa possibilidade. Agradece ainda ao promotor do GP França "a flexibilidade" e aos organizadores austríacos "o entusiasmo para receber uma segunda corrida com tão pouco tempo de antecedência".

A F1 informa ainda que dos 17 mil testes à covid-19 já feitos esta temporada, apenas 15 foram positivos.