Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

“Assistir às celebrações enquanto ainda estou no hospital é desrespeitoso e pouco desportivo": Verstappen não está feliz com Hamilton

O piloto dos Países Baixos, que liderava a corrida no momento do acidente com Lewis Hamilton, à entrada da segunda volta, sofreu um impacto de 51 G e foi levado a um hospital local para observação

Lusa

Mark Thompson

Partilhar

O piloto holandês Max Verstappen (Red Bull) confirmou ao final da tarde de domingo, nas redes sociais, que estava “bem” de saúde, após o acidente sofrido no início do Grande Prémio da Grã-Bretanha de Fórmula 1, após toque no Mercedes do britânico Lewis Hamilton.

O piloto dos Países Baixos, que liderava a corrida no momento do acidente à entrada da segunda volta, sofreu um impacto de 51 G e foi levado a um hospital local para observação.

“Antes de mais, estou OK. Foi um grande impacto, de 51 G, mas estou bem”, escreveu Verstappen nas redes sociais, mostrando-se “obviamente desapontado por ter sido posto fora [de prova] desta forma”.

Já Hamilton considerou que foi Verstappen quem não deu espaço de manobra. “Tento sempre medir distâncias quando faço a aproximação, sobretudo nas lutas com o Max [Verstappen], pois ele é bastante agressivo. Hoje [domingo], eu estava já totalmente ao seu lado e ele não me deixou espaço”, declarou Hamilton nas entrevistas rápidas após a prova.

Os comissários da corrida atribuíram a Hamilton uma penalização de 10 segundos, que não impediu o piloto britânico de conquistar a quarta vitória da temporada.

Em comunicado, a Federação Internacional do Automóvel (FIA) explicou que “o carro 44 [de Hamilton] estava numa trajetória em que não atingiu o vértice da curva, com espaço disponível no interior”.

“Quando o carro 33 [de Verstappen] chegou à curva, o carro 44 não evitou o contacto e a frente esquerda impactou na traseira direita do carro 33”, explicou a FIA.

Verstappen mostrou-se ainda desiludido com a penalização atribuída ao campeão mundial em título. “Não nos ajuda de forma nenhuma e não faz justiça ao movimento perigoso que o Lewis [Hamilton] fez na pista”, acrescentou Verstappen, nas redes sociais.

O holandês considerou também que os festejos da vitória de Hamilton foram “desrespeitosos”. “Assistir às celebrações após a corrida enquanto ainda estou no hospital é desrespeitoso e um comportamento pouco desportivo, mas seguimos em frente”, escreveu ainda.

Em declarações proferidas na conferência de imprensa após a corrida e ainda antes de ter conhecimento desta publicação de Verstappen, Lewis Hamilton dissera não sentir que tinha “de pedir desculpa a alguém por nada”. “Estávamos lá a correr”, frisou Hamilton.

No entanto, o campeão do mundo admitiu alguma preocupação pelo estado de saúde do holandês, prometendo falar com ele para “esclarecer” as coisas. “Nunca nenhum de nós deseja que o outro se magoe. Essa nunca é a minha intenção, pelo que espero que ele esteja bem”, frisou.

Hamilton antevê “muitas corridas duras” pela frente”, pelo que diz ser preciso aprenderem “a ter um comportamento equilibrado”.

O piloto da Mercedes disse ainda não estar de acordo “com os comissários”, mas aceitou a penalização e continuou “com o trabalho”.

Com este triunfo, o 99.º da carreira, Lewis Hamilton encurtou para oito pontos a distância para o líder do campeonato, o holandês Max Verstappen.