Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Fórmula 1

GP Rússia. Depois do pódio de Monza, a primeira pole de sempre para o happy boy Lando Norris

Num cenário de constante mudança de condições na pista de Sochi, a McLaren pensou mais rápido e com isso permitiu a Lando Norris partir de primeiro para o GP Rússia, duas semanas depois do 1.º e 2.º lugares da escuderia de Woking no GP Itália. Um erro de Hamilton deitou tudo a perder para a Mercedes - o campeão do mundo vai partir apenas de 4.º e Bottas de 7.º

Lídia Paralta Gomes

Dan Istitene - Formula 1

Partilhar

Continua esta espécie de idílio na McLaren, que depois de fazer 1.º e 2.º lugar há duas semanas no GP Itália, em Monza, conquista agora a primeira pole position desde o GP Brasil de 2012, com Lando Norris a garantir em Sochi também a sua estreia na frente da grelha, numa qualificação em que a estratégia e a rápida tomada de decisões no Q3 foi essencial.

Para a qualificação no GP Rússia, duas certezas: Max Verstappen não era um factor, já que a mudança da unidade motriz do seu Red Bull o atiraria sempre para o fundo da grelha no domingo, e a chuva como potencial baralhador de certezas.

Depois de uma manhã onde a água não parou de cair em Sochi - o terceiro treino livre nem se realizou -, a qualificação começou já sem chuva, mas com o asfalto do autódromo semi-citadino da cidade costeira do sul da Rússia ainda muito molhado, onde apenas os pneus intermédios e de chuva poderiam vingar.

A rápida melhoria das condições nos primeiros minutos do Q3, já com uma linha de trajectória limpa claramente visível, precipitou decisões nas boxes: George Russell foi o primeiro a pedir à equipa para trocar para pneus macios, com a McLaren e a Ferrari rapidamente a seguirem o exemplo.

Enquanto isso, caos na Mercedes, mais uma vez a não aproveitar na plenitude, pelo menos para já, a oportunidade que a penalização a Verstappen daria a Hamilton para se aproximar no Mundial de pilotos. Ao entrar nas boxes para trocar de pneus, o britânico foi ao muro, destruiu a asa dianteira, o que penalizou também Valtteri Bottas, que seguia logo atrás do campeão mundial e ficou obrigado a esperar.

Lando Norris (à direita) festeja com Russell, 3.º na grelha

Lando Norris (à direita) festeja com Russell, 3.º na grelha

Dan Istitene - Formula 1

Enquanto isso, já os carros mais rápidos a mudar de estratégia iam colocando temperatura nos pneus: com a bandeira de xadrez praticamente à vista, Carlos Sainz colocou o Ferrari na frente, mas lá atrás Lando Norris voava, tirando o lugar ao antigo colega de equipa na McLaren, que colocou o segundo carro, de Daniel Ricciardo, em 5.º lugar. George Russell, o primeiro a trocar de pneus, mais uma vez brilhou ao sábado, levando o Williams ao 3.º tempo mais rápido.

Com a confusão nas boxes, os Mercedes já não tiveram tempo para aproveitar a melhoria da pista com os pneus macios e num traçado que é tradicionalmente território Mercedes (ganharam sempre em Sochi) Hamilton vai partir apenas de 4.º e Bottas de 7.º.

Um Lando sem palavras

Não é fácil deixar o extrovertido Lando Norris sem palavras. Conquistar a primeira pole na Fórmula 1 consegui-o. “Isto sabe muito bem, nem sei o que dizer”, comentou o jovem britânico no final da qualificação, admitindo que o cenário “não era o que a equipa esperava”, mas que a McLaren tirou o “máximo da oportunidade” criada pelas condições atmosféricas difíceis de Sochi. Ou, pelo menos, da sua volatilidade.

“Sou um happy boy neste momento. Espero que seja a primeira pole de muitas”, disse ainda um sorridente Norris, feliz depois do 2.º lugar agridoce em Monza.