Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Fórmula 1

“Não sei por onde começar. Estou infeliz, devastado”: Lando Norris, a chuva no GP Rússia e a decisão que lhe roubou o primeiro triunfo na F1

O piloto da McLaren liderava quando começou a chover em Sochi, no GP da Rússia e, quando quase todos trocaram os pneus, ele manteve os duros. "Podia ter ganhado a corrida, mas não o fiz. Nunca vou ser feliz assim. É como é, tomámos decisões, eu tomei as decisões, foram obviamente erradas no final do dia. Foi duro", admitiu, após a corrida

Tribuna Expresso

Lando Norris, o "miúdo" da McLaren

Dan Istitene - Formula 1

Partilhar

Depois de uma pole position e de um sorriso de orelha a orelha na véspera, o mundo desabou em cima da cabeça de Lando Norris no Grande Prémio da Rússia. Ou, se quisermos, as travessuras da chuva do mundo inteiro. O McLaren de Lando Norris estava em primeiro em Sochi e, considerando que o chuvisco que se observava continuaria a ser um chuvisco, optou por não trocar os pneus. O britânico acabaria em sétimo.

“Não sei por onde começar. Estou infeliz, devastado de certa maneira”, disse, à Sky Sports, no final da corrida, vencida por Lewis Hamilton (Mercedes), que até teve um arranque desastroso (de 4.º passou para 7.º). O britânico conquistou a 100.ª vitória da carreira e a quarta desta temporada. O campeão do mundo não vencia um GP desde 18 de julho, em Silverstone.

Lando Norris, um inglês de 21 anos em cujos ombros assentam muitas esperanças, explicou o que se passou. “Não estou feliz. Podia ter ganhado a corrida, mas não o fiz. Nunca vou ser feliz assim. É como é, tomámos decisões, eu tomei as decisões, foram obviamente erradas no final do dia. Foi duro. Do lado positivo, consegui alguns pontos, o Daniel [Ricciardo] também fez um bom trabalho, para a equipa foi um dia decente”, admitiu, antes de meter o dedo na ferida.

Quase todos os outros pilotos trocaram para pneus intermédios, reagindo àqueles pingos de chuva que podiam ou não engrossar o tom, mas ele manteve os duros. Quando o dilúvio se abateu no asfalto, o carro de Lando Norris ficou praticamente indomável. Questionado sobre se achava que teria vencido caso o piso se tivesse mantido seco, Lando não tinha dúvidas.

“Oh, de certeza. Estava tudo sob controlo, houve alguma gestão de combustível, foi quando ele [Hamilton] se aproximou muito de mim. Assim que parei e pude acelerar, ficou tudo bem. Mesmo nas primeiras quatro, cinco voltas, em que começou a chuviscar, estava complicado, mas mantive o controlo, cometi alguns erros, mas acho que é o que acontece quando lideras contra aqueles dois. Se te está a pressionar, não podes conduzir devagar e deixá-lo passar. Foi complicado, mas por alguma razão não vimos a quantidade de chuva que ainda vinha, não me disseram, não sabia, tomei a decisão com a informação que tínhamos antes, que era o que os chuviscos iam manter-se chuviscos e não chuva torrencial. Estava tudo a correr tão bem, torna tudo pior. Não é o resultado que queríamos”, reconheceu, com os olhos a brilhar de uma forma infeliz, com um sorriso dorido.

No final da corrida, lado a lado e perante os jornalistas, Hamilton e Norris trocaram algumas palavras, tentando explicar a decisão pelas trocas dos pneus ou, no caso do jovem piloto, o motivo por que optou ignorar as indicações da equipa. Hamilton, aí, elogiou a sua equipa. Mas não deixou de aplaudir o trabalho de Lando, assim como tirou o chapéu às prestações da McLaren: “É ótimo vê-los bem e tão fortes”.

Max Verstappen (Red Bull) e Carlos Sainz (Ferrari) acompanharam Hamilton no pódio. O britânico vai liderando o Mundial de Fórmula 1, com 246,5 pontos, ligeiramente à frente de Verstappen (244.5). Valtteri Bottas, da Mercedes, segue na terceira posição, com 151 pontos.

Nos construtores, a Mercedes vai ocupando a primeira posição, com 397,5 pontos, à frente de Red Bull (364,5) e McLaren (234).

  • Lewis Hamilton x 100
    Fórmula 1

    O britânico da Mercedes chegou à vitória número 100 na Fórmula 1, num GP Rússia em que Lando Norris parecia próximo do seu primeiro triunfo, até a chuva fazer uma aparição em força nas últimas cinco voltas. Verstappen minimizou a partida em último na grelha, ao ser 2.º