Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Fórmula 1

O México recebeu Sergio Pérez em apoteose, mas o piloto admitiu uma hipótese: se estiver em 1.º lugar, deixar passar Verstappen

Na semana que marca o regresso da Fórmula 1 ao México, os mais de 100 mil adeptos espalhados pelas ruas da capital só queriam ver uma pessoa: Sergio Pérez. O piloto não escondeu a felicidade e assumiu estar pronto para trabalhar em equipa na Red Bull, que é como quem diz, poderá abdicar de uma eventual liderança da corrida a favor de Max Verstappen, companheiro de equipa que vai na frente do mundial

Rita Meireles

Mark Thompson/Getty

Partilhar

Na semana que marca o regresso da Formula 1 ao México, os mais de 100 mil adeptos espalhados pelas ruas da capital só queriam ver uma pessoa: Sergio Pérez. O piloto não escondeu a felicidade e assumiu estar pronto para trabalhar em equipa

Chama-se Grande Prémio da Cidade do México, mas se lhe chamarmos Grande Prémio Sergio Pérez não há um mexicano que vá estranhar. Se dúvidas havia sobre o país onde a receção aos pilotos é maior, estão desfeitas — ou melhor, a receção ao piloto.

A competição só começa na próxima sexta-feira, com os dois primeiros treinos livres, mas antes disso a Red Bull já andou a passear pelas ruas da cidade. Numa exibição promovida pela equipa, Sergio Pérez surgiu ao volante do RB7 e deixou em êxtase uma multidão de mais de 100 mil pessoas.

Já fora do carro, e com a bandeira mexicana em ombros, Pérez dirigiu-se aos fãs que chegaram a acampar para conseguir um dos melhores lugares para ver o piloto.

“É espantoso estar de volta à Cidade do México. Nunca imaginei um momento como este. Como atletas e pilotos, pensamos sempre em estar na pista a criar memórias, mas hoje foi uma loucura”, disse Pérez.

Este ano marca o regresso da Fórmula 1 ao México, depois de no ano passado a corrida ter sido cancelada devido à pandemia causada pela covid-19. Além disso, é a primeira vez que Pérez irá competir no Autódromo Hermanos Rodríguez ao serviço da Red Bull.

E foi sobre a equipa que o piloto falou com os jornalistas. Se, por um lado, é clara a ambição que tem de vencer em casa, por outro é o seu colega de equipa que está na luta pelo título mundial.

O mexicano assumiu que é possível que venha a existir um momento em que terá que desistir da primeira posição do pódio, no caso de se encontrar na frente e receber a ordem que irá favorecer a luta pelo campeonato de Max Verstappen.

“É complicado. Devemos ver as circunstâncias que temos na corrida. No final do dia, somos pilotos a trabalhar em equipa, que é o foco principal. É o panorama geral. Teremos de olhar para as circunstâncias. E essa é a beleza da corrida: as decisões são tomadas no momento, em segundos, apesar de serem questões muito complicadas”, afirmou.

Pérez chega ao México na quarta posição, com 150 pontos. No pódio, neste momento, estão Max Verstappen em primeiro, seguido pela dupla da Mercedes, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, em segundo e terceiro, respetivamente.