Tribuna Expresso

Perfil

Futebol feminino

Quando o racismo acontece em Portugal: jogadora do Sp. Braga denuncia insultos

A norte-americana Shade Pratt, jogadora do Sporting de Braga, diz que ouviu insultos racistas no último jogo da equipa, perante o Cadima, na Liga BPI de futebol feminino

tribuna expresso

Shade Pratt (à esquerda, de branco) é norte-americana, tem 26 anos e joga no Sporting de Braga desde o início da época 2019/20

Aurelien Meunier - PSG

Partilhar

Depois do que se viu no Bulgária-Inglaterra, há outro caso de racismo no mundo desportivo esta semana, denunciado esta quarta-feira pela própria visada. Shade Pratt, jogadora norte-americana do Sporting de Braga, recorreu às redes sociais para garantir que foi visada devido à cor da sua pele durante o Cadima-Sporting de Braga (0-7), da Liga BPI em futebol feminino, no passado domingo.

Segundo Pratt, "uma adepta do Cadima", equipa do concelho de Cantanhede, gritou "insultos racistas" durante o jogo. Mais tarde, aparentemente interpelada pela própria Pratt, a adepta terá "escolhido esconder-se entre o público, sem ter coragem para voltar a dizê-lo frente a frente".

Já o restante público no local não terá reagido à situação, pelo que a jogadora de 26 anos diz que, assim, "escolheram um lado na luta contra o racismo, ficando silenciosos e permitindo o comportamento, que poderá ser repetido".

Pratt garante que "o racismo existe em todo o mundo" e que esta é uma "batalha dura que todos têm de lutar", acrescentando também que, ainda assim, este "incidente isolado" não muda a visão que tem das "pessoas incríveis" que conheceu desde que está em Portugal.

A avançada dos EUA joga no Sporting de Braga, atual campeão nacional, desde o início de 2019/20.

Instagram