Tribuna Expresso

Perfil

Futebol feminino

O Lyon conhece bem o PSG, o PSG conhece bem a cabeça de Renard e mesmo assim foi ela a decidir (o Lyon é finalista da Champions feminina)

Um erro da defesa do PSG bastou ao Lyon para assegurar um lugar na final da Liga dos Campeões feminina, onde vai encontrar o Wolfsburgo, no domingo. É a 5.ª final consecutiva do Lyon, que pode conquistar o 7.º título

Lídia Paralta Gomes

Alvaro Barrientos/Pool via Getty Images

Partilhar

Jogam na mesma liga, lutam pelo título no seu país e ainda há 17 dias se tinham encontrado na final da Taça de França. As equipas do Lyon e do Paris Saint-Germain não têm nada que não conheçam uma da outra e talvez por isso a segunda meia-final da Liga dos Campeões feminina tenha sido um jogo tão fechado, com tão poucas oportunidades, com as duas equipas à espera do erro do outro lado.

E para duas equipas que se conhecem tão bem, talvez o erro que leva mais uma vez o Lyon à final da Champions, que se está a jogar no País Basco, em Espanha, fosse um daqueles imperdoáveis para a equipa de Paris. Do alto do seu 1,87m, a central Wendie Renard é um perigo nas bolas paradas e num livre lateral aos 67’, a defesa do PSG esqueceu-se da internacional francesa, que cabeceou para o único golo do jogo.

Foram dois minutos de pesadelo para o PSG, que depois de mais de uma hora a conseguir suster o favoritismo do Lyon entregou praticamente tudo naquela sequência: aos 66’, Geyoro fez falta sobre Lucy Bronze, recebeu o segundo amarelo e deixou o PSG com 10; no livre, o Lyon marcaria e parecia tudo encaminhado, em velocidade cruzeiro, para a equipa do leste francês chegar à 5.ª final consecutiva, onde pode chegar também ao 5.º título consecutivo, o 7.º do seu palmarés.

Mas até final houve sofrimento, já que poucos minutos depois, Nikita Parris, imprudente, “atropelou” Christiane Endler, a guardiã do PSG, recebendo também ordem de expulsão. Com as equipas igualadas em termos de elementos em campo, o PSG carregou, encostou o Lyon no seu meio-campo e não permitiu jogadas de ataque das adversárias, mas sem nunca conseguir criar verdadeiro perigo para a baliza da sempre segura Sarah Bouhaddi.

E assim se chega a uma final esperada, entre Lyon e Wolfsburgo (domingo, às 19h, na Eleven), com as alemãs o 3.º título na prova, o último dos quais ganho em 2014, em Lisboa.