Tribuna Expresso

Perfil

Futebol feminino

Mariana Rosa

Mariana Rosa

Jogadora do Sporting CP

Mariana Rosa: “Vou estrear-me na equipa principal do Sporting. Ainda estou a processar, a tentar acreditar e a cair na realidade”

A Liga BPI, versão 2020/21, começa este fim de semana e Mariana Rosa, jogadora do Sporting (que defronta o Amora, 15h, Sporting TV), explica à Tribuna Expresso como é ser jogadora profissional de futebol em Portugal, aos 19 anos

Mariana Rosa

Mariana Rosa é jogadora do Sporting CP

SCP

Partilhar

Como qualquer jogadora profissional, até conseguir chegar à equipa principal, passei por muitas etapas. Comecei a jogar com rapazes, como acontece com muitas de nós, no Colégio Marista de Carcavelos, que era a escola em que eu andava na altura.

Antes de passar para o futebol feminino estive ainda com rapazes bastantes anos, o que, por um lado, ajudou-me muito em termos de aprendizagem, sendo que tinha sido o primeiro clube de futebol federado em que tinha estado, podendo, se calhar, afirmar que lá aprendi todas as bases do futebol.

No entanto, para além de ser já um desporto federado, eu tinha ainda 6 anos, era muito pequenina, e por isso ainda só via o futebol como uma atividade extracurricular, fazendo-o porque adorava, sem pensar em nada mais que fosse além da felicidade que sentia a jogar, o que era próprio também da idade.

Depois, por volta dos 12 anos, integrei a minha primeira equipa de futebol feminino, o Estoril Praia, onde estive os dois anos seguintes. Nessa altura, comecei também já a perceber que o futebol me ia acompanhar nuns próximos bons anos, e que queria mesmo e fazia questão para que tal acontecesse.

Depois do Estoril e no ano de criação de futebol feminino no Sporting, recebi então um convite para fazer parte da equipa sub-19. Posso dizer que foi o realizar de um dos meus maiores sonhos, uma vez que eu desde pequenina que era do Sporting e que ia ver todos os jogos ao estádio, e que sonhava em poder um dia estar no lugar deles. Desde esse ano então que estou no Sporting, tendo passado esses quatro anos nas sub-19, e, assim que foi criada, também na equipa B, indo também algumas vezes treinar à equipa principal.

Acho que em cada clube em que estive consegui ir aprendendo sempre coisas novas e diferentes e que me ajudassem muito no mundo do futebol.

SCP

Esta época convidaram-me para fazer parte da equipa principal a tempo inteiro, uma notícia que estou, ainda, na verdade, a processar, a tentar acreditar nela e a cair na realidade. É um orgulho enorme para mim ter conseguido chegar a uma equipa principal do Sporting Clube de Portugal, tendo feito, também, parte da minha formação neste clube. A formação serve para isso mesmo, para um dia chegar ao profissionalismo e conseguir ajudar as equipas principais, e para mim ser um desses exemplos é algo bastante especial. Agora só me resta tentar ajudar a equipa a ser melhor em cada dia para atingirmos os objetivos coletivos, tentando, claro, também eu mesma ser melhor em cada dia que aqui passo e em cada dia que aprendo coisas novas.

Apesar deste ano ser bastante diferente, não só a estrutura do campeonato, como também em outros aspetos, por causa da época que passamos, as ambições da equipa continuam sempre as mesmas, resultado também do grande clube que é o Sporting e da equipa e equipa técnica que aqui temos. Trabalhamos todos os dias para sermos melhores e estou bastante confiante nesse trabalho. Acho que esta época nos vai trazer coisas muito positivas.

Espero este ano conseguir, eu também, estrear-me nesta competição pela equipa principal e, claro, tentar ajudar sempre a equipa na conquista dos objetivos coletivos. Vai ser, sem dúvida, um dia único e do qual nunca me vou esquecer, uma vez que é a estreia pela qual esperam todas as jogadoras que querem ser profissionais de futebol.

Desde sempre que tive mais referências que conseguisse apontar no futebol masculino, até porque era o que mais acompanhava. No entanto, apesar de não ter assim nenhum ídolo no futebol feminino, nos últimos anos já fui vendo alguns clubes e jogos, e tenho algumas jogadoras que adoro ver jogar, esperando um dia conseguir estar ao nível delas. São exemplo disso a Lieke Martens, que joga no Barcelona e na seleção holandesa, ou a Alex Morgan, que joga no Tottenham e na seleção americana.

Jogar na equipa principal do Sporting era, sem dúvida, um dos meus maiores sonhos. Entre os outros sonhos que ainda tenho e que espero um dia conseguir alcançar, encontram-se, conseguir chegar à seleção principal portuguesa e, sem dúvida e acho que o mais importante de todos, conseguir em cada dia aprender coisas novas e ser cada vez melhor jogadora, chegando assim o mais longe possível.