Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Welcome to the ICC. Vai começar a Liga dos Campeões dos amigáveis

A International Champions Cup, torneio de pré-época com 19 das melhores equipas do mundo, começa esta sexta-feira (madrugada de sábado, na hora portuguesa), com jogos nos EUA, na Europa e em Singapura, que juntam o melhor de dois mundos para os clubes: digressões lucrativas e amigáveis competitivos

Mariana Cabral

Estádios completamente cheios: normalmente é isto que acontece quando os grandes europeus se defrontam em terras norte-americanas

Leon Halip/Getty

Partilhar

Faltavam oito minutos para acabar o jogo quando Fabian Barthez comprovou um dos clichés do futebol: os guarda-redes são avançados frustrados. O internacional francês, então guardião da baliza do Manchester United, pediu a Alex Ferguson que lhe deixasse cumprir um sonho de infância: ser jogador de campo. E, aos 82 minutos de uma farta goleada (8-1) inglesa frente a uma seleção de jogadores de Singapura, Barthez entrou para avançado, para gáudio dos 50 mil adeptos nas bancadas - e para gargalhadas do staff.

Nesse dia, 24 de julho de 2001, Charlie Stillitano estava no Estádio Kallang a assistir àquele amigável de um grau máximo de amigabilidade. "Estavam todos a rir e brincar, até os própios diretores do Manchester United", recordou, ao "The Guardian".

Mas o diretor da Relevent Sports não achou graça.

E foi em 2003, quando se sentou para conversar com o vencedor da Taça UEFA, que confirmou a ideia que tinha criado naquele dia em Singapura. "Sentei-me com o José Mourinho e ele disse-me assim: 'O que que quero é jogar jogos muito difíceis'. O José foi a primeira pessoa não só a percebê-lo, mas a exigi-lo. E o Sir Alex Ferguson escreveu, mais tarde, que também aprendeu algo sobre as pré-épocas com o José".

O Manchester United de José Mourinho já está em estágio nos EUA

O Manchester United de José Mourinho já está em estágio nos EUA

John Peters/Getty

Foi assim que, em 2003, Charlie Stillitano e a Relevent Sports começaram a organizar a International Champions Cup (ICC), torneio de pré-época que acabou com goleadas e brincadeiras burlescas, juntando o melhor de dois mundos para os grandes clubes europeus: digressões lucrativas e jogos competitivos.

Ou, pondo isto noutra perspetiva: uma maneira de fingir algum interesse em jogos de digressões que, de outro modo, pouco interesse teriam para os adeptos.

Todos querem ganhar, claro, mas também não faz mal nenhum amealhar: no ano passado, a maioria das equipas participantes acumulou €3 milhões por jogo, enquanto os cabeças de cartaz Manchester United, Real Madrid e Barcelona levaram para casa mais de €22 milhões apenas por jogarem, mais alguns "trocos" consoante as assistências dos respetivos jogos - e as assistências não são de desprezar.

A base do torneio é nos EUA (apesar de também haver jogos pontuais em Itália, na Alemanha, no Reino Unido, em Espanha, em França, em Portugal e em Singapura), porque, enquanto não há NBA e NFL para entreter os adeptos norte-americanos, há soccer - e a receita tem funcionado na perfeição. Os jogos do ICC têm batido consistentemente recordes de assistência em jogos de futebol nos EUA (93,098 no Real Madrid-Manchester City; 82,104 no Barcelona-Juventus; 80,162 no Barcelona-Manchester United) e é provável que este ano volte a acontecer o mesmo, já no Manchester United-Liverpool, no Estádio Michigan, mais conhecido por "The Big House", que costuma receber 107 mil adeptos em jogos de futebol americano.

O Barcelona venceu a ICC em 2017

O Barcelona venceu a ICC em 2017

Chris Trotman

Dentro do que é um torneio amigável, este é, de facto, dos mais sérios que pode haver, não só pelo muitos milhões que envolve, mas porque tem uma tabela classificativa, com as 19 equipas participantes (cada uma disputa três jogos) e muitas rivalidades pelo meio. Há seis clubes ingleses - Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham -, quatro clubes espanhóis - Atlético de Madrid, Barcelona, Real Madrid e Sevilha -, quatro clubes italianos - Inter, Juventus (ainda sem Ronaldo, note-se), AC Milan e Roma, dois clubes franceses - PSG e Lyon -, dois clubes alemães - Bayern Munique e Borussia Dortmund - e apenas um clube português, o Benfica.

"Os EUA e a América do Norte como um todo são e vão continuar a ser um mercado essencial para nós", disse à "Forbes" o CEO do Liverpool, Peter Moore, para quem a conjugação que o ICC faz entre dinheiro e competitividade está no ponto certo. "É um torneio sério, não são amigáveis, posso dizer-vos. Quando, por exemplo, formos jogar contra o Manchester United, isso não será um 'amigável'. Será um jogo muitíssimo disputado. Nesse jogo em particular, os jogadores de ambas as equipas que estiveram no Mundial já estarão de volta, pelo que irão lutar novamente pelos seus lugares nas respetivas equipas. Acho que será um espetáculo magnífico", acrescentou.

Charlie Stillitano diz o mesmo. "Sabemos que isto não é a Premier League, La Liga ou a Champions League. Não estamos a tentar fingir que é, mas é um torneio muito sério no qual todas as grandes equipas querem estar para se prepararem para a época da melhor forma", disse o organizador da ICC, que este ano também apresentou outras novidades, por querer "o melhor para o futebol", assegura.

Além do torneio masculino haverá também um torneio feminino, no qual participam Manchester City, Chelsea, PSG e as norte-americanas North Carolina Courage, e um torneio sub-14, onde participam jovens promissores dos clubes que irão participar na versão sénior da prova. "Acredito muito no poder do desporto como um veículo para ajudar os jovens a crescer e a amadurecer. Acho que não há modelos suficientes no desporto para as raparigas, por exemplo. Neste momento, não se trata de dinheiro, trata-se que querer que o futebol cresça".

Calendário de jogos

Sábado, 21 de julho:

Manchester City-Borussia Dortmund (02h05, SportTV2)

Bayern Munique-PSG (15h15, SportTV2)

Domingo, 22 de julho:

Liverpool-Borussia Dortmund (21h05, SportTV2)

Quinta-feira, 26 de julho:

Juventus-Bayern Munique (0h05, SportTV2)

Borussia Dortmund-Benfica (01h05, SportTV1)

Manchester City-Liverpool (01h05, SportTV3)

Roma-Tottenham (03h05, SportTV2)

AC Milan-Manchester United (04h05, SportTV3)

Atlético Madrid-Arsenal (12h35, SportTV2)

Sábado, 28 de julho:

Arsenal-PSG (12h35, SportTV2)

Benfica-Juventus (18h05, SportTV1)

Chelsea-Inter (19h05, SportTV2)

Manchester United-Liverpool (22h05, SportTV2)

Domingo, 29 de julho:

Bayern Munique-Manchester City (0h05, SportTV3)

Barcelona-Tottenham (04h05, SportTV2)

Segunda-feira, 30 de julho:

PSG-Atlético Madrid (12h35, SportTV2)

Quarta-feira, 1 de agosto:

Manchester United-Real Madrid (01h05, SportTV3)

Tottenham-AC Milan (01h35, SportTV1)

Barcelona-Roma (03h05, SportTV2)

Arsenal-Chelsea (20h05, SportTV2)

Benfica-Lyon (21h05, SportTV1)

Sábado, 4 de agosto:

Real Madrid-Juventus (23h05, SportTV3)

Domingo, 5 de agosto:

AC Milan-Barcelona (01h05, SportTV2)

Quarta-feira, 8 de agosto:

Real Madrid-Roma (01h05, SportTV)

Sábado, 11 de agosto:

Atlético Madrid-Inter (20h05, SportTV)