Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

E se o novo Jardim de Leonardo fosse o Real Madrid?

As duas semanas em que, legalmente, o clube de Madrid pode manter Santiago Solari como treinador interino estão a acabar e os rumores sobre quem será o novo técnico do Real, claro, vão aumentando. Tanto que já chegaram a um nome português: a ESPN diz que Leonardo Jardim é uma das hipóteses para suceder a Julen Lopetegui

Diogo Pombo

Dave Winter

Partilhar

As normas da liga espanhola mandam um clube que, a meio da época, decida mudar a sua vida - sendo que, por vida, se entende o treinador que manda na equipa principal de futebol -, tenha apenas duas semanas para tomar outra decisão, sobre como irá viver no resto da temporada. Isto para lembrar que o Real Madrid, a partir do momento em que despediu Julen Lopetegui, a 29 de outubro, fico a saber que teria até 12 de novembro para decidir quem ficaria a treinar a equipa.

Santiago Solari foi a solução escolhida, a prazo e interinamente, para navegar o barco nestas águas turbulentas durante 15 dias. Cumprido esse tempo, o Real Madrid, na pessoa de Florentino Pérez, o seu presidente instável e fervedor em pouca água, terá que tomar, no fundo, uma de duas opções: dar um contrato ao argentino, um ex-jogador do Real Madrid e homem da casa, mas pouco experimentado como treinador; ou contratar um técnico com provas mais do que dadas.

Ora, ao universo desta segunda hipótese, têm entrado muitos e variados rumores, porque as possibilidades também são variadas.

Já se falou do regresso de um português que já lá esteve, ganhou, criou turbulências e saiu a mal (José Mourinho). Da contratação de um italiano bem experimentado, que foi campeão em Itália e em Inglaterra (Antonio Conte), mas que terá exigido o controlo sobre tudo o que é futebol no Real Madrid, domínio quase impensável para o clube que é. E já se suspeitou que o alvo principal seria um argentino que tem magicado milagres de bom futebol (Mauricio Pochettino) no Tottenham, um clube sem grandes títulos no historial e que compete contra monstros mais endinheirados.

E, de repente, fala-se inesperadamente em outro português, Leonardo Jardim.

O treinador foi despedido do AS Monaco no início de outubro, à quinta temporada no clube na qual tinha apenas uma vitória em 12 jogos. Um arranque paupérrimo e o completo oposto dos feitos que conseguira nos quatro anos anteriores. A mandar numa equipa que era alvo de desinvestimento crescente do magnata russo que, em 2011, depositara muitos milhões de euros no clube, Jardim conseguiu ser campeão francês em 2016/17, época em que também chegou às meias-finais da Liga dos Campeões.

A sua constância, a habilidade em potenciar miúdos com talento (Bernardo Silva, Kylian Mbappé, Thomas Lemar ou Benjamin Mendy) e a reputação de se um tático minucioso (os jogadores do AS Monaco chamavam-lhe "El Tactico") serão do agrado do Real Madrid que, segundo a ESPN, terá o treinador português como uma das hipóteses para suceder a Julen Lopetegui.

A ser verdade e a confirmar-se, Leonardo Jardim seria o terceiro homem vindo de Portugal a treinar o clube que mais Liga dos Campeões (13) conquistou na Europa, após Carlos Queiroz (2003/04) e José Mourinho (2011-2013).

  • O Jardim de Leonardo que secou no Mónaco

    Futebol internacional

    Leonardo Jardim foi despedido do AS Monaco e deixa um campeonato francês ganho nas barbas do magnata PSG, uma meia-final da Liga dos Campeões e muitos miúdos tornados craques e vendidos por milhões.O técnico sai quando tinha apenas uma vitória em 12 jogos, à quinta temporada no clube. Esta é a breve história de como a liga francesa perdeu um treinador português