Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

A morte chegou quando dormiam, naquilo que devia ser um parque de estacionamento

O incêndio no Ninho do Urubu, a academia de futebol do Flamengo, no Rio de Janeiro, matou sete atletas entre 14 e 15 anos e três funcionários do clube. Zona de dormitórios tinha apenas autorização para estacionamento

Hugo Tavares da Silva

RICARDO MORAES

Partilhar

Felipe escapou à lista maldita que entorpece a alma das famílias e dos apaixonados pelo “mengão”, o grande clube do Rio de Janeiro. Felipe escapou às chamas. “Incêndio ocorreu no meu quarto, só tenho que agradecer a Deus por conseguir acordar e escapar da morte, Deus conforte meus irmãos”, escreveu no Twitter o atleta dos juvenis (sub-17) do Flamengo.

Christian Esmério. Bernardo Pisetta. Pablo Henrique. Arthur Vinícius. Athila Paixão. Vitor Isaías. Jorge Eduardo. Tinham 14 e 15 anos e morreram esta sexta-feira no Ninho do Urubu, num incêndio que vitimou, pelo menos, outras três pessoas, todos funcionários do clube do Rio de Janeiro. Há três feridos hospitalizados.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)