Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

“Os acontecimentos mais recentes têm sido desastrosos e eu não me escondo”

Sergio Ramos e Florentino Pérez terão discutido no balneário do Real Madrid na terça-feira, logo após a eliminação do tricampeão europeu da Liga dos Campeões.

Partilhar

O futebolista internacional espanhol Sergio Ramos negou esta segunda-feira problemas com o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, apesar de não ter desmentido um possível desentendimento entre ambos na semana passada.

"Se discuti com o presidente? Os assuntos de balneário são discutidos e resolvidos lá. Não há problema algum e todos têm o mesmo interesse: o Real Madrid", reagiu o defesa numa publicação nas redes sociais.

De acordo com relatos da imprensa espanhola, Sergio Ramos e Florentino Pérez mantiveram uma discussão acesa no balneário do Real Madrid na terça-feira, logo após a eliminação do tricampeão europeu nos oitavos de final da Liga dos Campeões, perante o Ajax, em que o presidente terá acusado os jogadores de falta de dedicação e excesso de folgas.

Ramos, que esteve ausente do encontro de Madrid por ter sido admoestado com cartão amarelo em Amesterdão, aos 90 minutos, na tentativa de limpar o cadastro disciplinar na segunda mão com o Ajax, considerou a decisão de forçar o cartão "um erro" e assumiu "a culpa em 200 por cento".

"Como futebolistas, gostamos de conversar dentro de campo, mas esta temporada não está a correr bem. Os acontecimentos mais recentes têm sido desastrosos e eu não me escondo. Nós, os jogadores, somos os principais responsáveis e eu, enquanto capitão, mais do que qualquer um", sublinhou o jogador de 32 anos.

À entrada para o mês de março, os merengues hipotecaram as suas hipóteses de ganhar o campeonato espanhol, no qual seguem na terceira posição, a 12 pontos do líder, o FC Barcelona, e terminaram um ciclo de três conquistas europeias consecutivas, um contexto "profundamente dececionante" que tem gerado muita especulação em torno do sucessor do técnico argentino Santiago Solari.

"Temos um enorme respeito pela posição e apoiamos sempre o treinador do Real Madrid. Essas reflexões são, sem dúvida, o resultado de uma temporada profundamente dececionante, mas se o sucesso não nos faz parar, não vamos deixar que a derrota o faça. É nossa obrigação continuar, trabalhar e evoluir", afiançou.