Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Onde tudo começou: primeiro clube de Maradona cria manga de acesso ao relvado com a forma do “10”

O estádio já leva o nome dele desde 2003. Agora, os jogadores entram em campo através do peito do ex-futebolista. Foi onde tudo começou: Maradona estreou-se pelo Argentinos Juniors com 15 anos

Hugo Tavares da Silva

Michel Barrault/Getty Images

Partilhar

Antes de irmos a mais uma bela homenagem do Argentinos Juniors ("Se daqui saiu o maior, como é que não íamos ter a melhor manga?"), imaginem Diego Maradona um dia desabafar que o melhor golo que marcou não foi aquele mítico à Inglaterra, em 86. Ou seja, houve melhor do que aquela “corrida memorável, a “jogada de todos os tempos” que deixou para trás Beardsley, Reid, Butcher, Fenwick e Shilton.

Foi seis anos antes do Campeonato do Mundo no México. Diego, que tinha sofrido o maior desgosto de amor depois de não ser convocado por Menotti para o Argentina-78, foi ao Japão um ano depois conquistar o Mundial sub-20. “O génio do futebol mundial” ficou na moda, tal como o clube Argentinos Juniors, onde começou e se estreou aos 15 anos.

Mark Leech/Offside/Getty Images

Depois desse triunfo no Japão, o clube vendeu uma digressão milionária pela América do Sul, no verão de 80. Foram quase 20 jogos na pré-época, cobrando 40 mil dólares por cada um, pode ler-se neste artigo da “El Gráfico”. Quando chegaram à Colômbia, Maradona era capa de um dos jornais há três dias. Fotografias, colunas sem fim, declarações de amor mal encapotadas. Diego tinha 20 anos.

Na terra do café, o Argentinos Juniors jogaria contra o Deportivo Pereira, que tinha em Benjamín Cardona a grande estrela. A imprensa colombiana serviu-se dele para criar um anti-herói: Maradona vs. Cardona. “Foi um partidazo”, conta a “El Gráfico”. Quatro-quatro, com 25 mil adeptos nas bancadas. Diego, numa espécie de regresso ao futuro, foi resgatar uma dose de magia para recriar aquele golo à Inglaterra. Em menos tempo: em vez de 10,6 segundos, demorou apenas 8,17. Foi assim:

Estas imagens não conheceram a fama durante 33 anos. Foi um daqueles mitos, apenas registado por fotógrafos colombianos. A revista “El Gráfico" publicou a anatomia daquele gesto divino e mágico-potente-impossível uma semana depois.

Por golaços como este, pelas correrias memoráveis, por ter começado ali, Diego Maradona confunde-se com o Argentinos Juniors. A cancha do clube leva o mesmo nome do “10” desde 2003.

Na segunda-feira, num jogo em casa contra o Vélez Sarsfield, o canhoto mais especial da terra do choripán voltou a ser homenageado. Os jogadores entraram por uma manga insuflável com a forma e expressão de Diego, que mais tarde agradeceu e disse: “É um orgulho. A camisola do Argentinos Juniors é linda”.