Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Tem uma noite daquelas, votam nele como melhor em campo por “zoeira” e Globo pede desculpas e muda formato

Sidão, o guarda-redes do Vasco da Gama, foi responsável pelo primeiro golo do Santos de Sampaoli, no domingo à noite. Foi uma noite difícil e ainda teve de receber o galardão para "craque do encontro"...

Tribuna Expresso

Dean Mouhtaropoulos

Partilhar

Ser gente é, normalmente, malhar na segunda-feira. Todos temos aquele dia mau, o café que espirra da máquina, a multa de estacionamento ou joelhada numa coisa que está e não devia estar. Mas ninguém vê, é lidar. O dia mau de um futebolista é para toda a gente ver, tolerantes e protestantes. E pode ser difícil, porque pode sempre piorar.

Foi o que aconteceu a Sidão, o guarda-redes do Vasco da Gama. No domingo à noite, a equipa treinada por Marcos Valadares deslocou-se ao campo do Santos de Sampaoli, num jogo a contar para a 4.ª jornada do Brasileirão. Apesar dos avisos muito sérios de Rodrygo e companhia, o zero-zero manteve-se… até que Sidão tocou mal para um colega da defesa e permitiu o remate acertado de Diego Pituca. O guarda-redes ficou, provavelmente, nervoso e foi errando aqui e ali, com as mãos menos certas do que quando começou a partida.

A Internet, um lugar que sabe adorar mas que também desfaz, foi juntando pessoas à volta de uma ideia, como um fogueira: votar em Sidão para figura do encontro. E foi o que acabou por acontecer, com 90% dos votos. No final, depois do 3-0, do erro, com aquele sentimento amargo de quem traiu colegas, ainda teve de receber o galardão da mão de uma jornalista.

“Acho que até ao primeiro golo, num erro individual meu, a equipa estava bem, tentando fazer o que treinou, que era sair com posse de bola, para tentar quebrar a linha de pressão da frente deles, para tentar sair com qualidade…”, começou por dizer Sidão. “Eu errei, sofremos um golo. A partir daí, a equipa sentiu um pouco e veio esse resultado ruim para nós.” A seguir, recebeu a tal distinção de “craque do jogo”. Desanimado, não perdeu a compostura, parece dizer algo como “tá bom”, pegou no troféu e investiu na caminhada inglória e solitária até ao balneário.

Depois do jogo, o Grupo Globo, que distingue a tal figura do jogo, pediu desculpas e anunciou a mudança do formato, conta este artigo do “Globo Esporte”. O público continuará a ter o seu espaço, mas os comentadores da TV Globo vão ter voto na matéria e, na teoria, anular casos como este.

“O Grupo Globo aproveita para pedir desculpas a Sidão pela situação de constrangimento ao fim do jogo no Pacaembu”, pode ler-se no artigo do “Globo Esporte”. “O goleiro é um profissional de alto nível no futebol brasileiro que estava em seu ambiente de trabalho depois de uma jornada difícil. Reconhecemos que a entrega do troféu não foi adequada na ocasião e agradecemos a educação de Sidão no momento de tensão.”