Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

“É um mercado difícil e há muito preconceito”: há um português na quarta divisão brasileira à espera que Jesus mude as coisas

Paulo Morgado, treinador português da quarta divisão de futebol do Brasil, acredita no sucesso de Jorge Jesus

Lusa

Cláudio França

Partilhar

O treinador português Paulo Morgado, a trabalhar no Fast Clube, da quarta divisão do Brasil, disse hoje à agência Lusa que Jorge Jesus vai trazer "muitos resultados positivos ao Flamengo" e ao futebol brasileiro.

"Acho que quem vai ganhar mais com isto é o futebol brasileiro. A qualidade de trabalho do Jorge Jesus vai dar muitos resultados positivos ao Flamengo", explicou o treinador de 44 anos, atualmente adjunto, ou "técnico de campo", no Fast Clube, da Série D (quarta divisão), e há sete anos no futebol brasileiro.

Apesar das qualidades e de ser "um treinador de excelência", Jesus enfrentará um povo brasileiro "que ainda não tem essa noção" e uma imprensa "muito agressiva", que não conhece o português por não vir "de clubes como o Chelsea, o Real Madrid ou o FC Barcelona".

Este é um mercado "difícil, mais do que em Portugal, Espanha ou França", porque há "muitos treinadores e muito preconceito", mesmo para um técnico "titulado três vezes pelo Benfica, com outros títulos e que trabalhou na Arábia Saudita".

A questão das longas viagens, que nas divisões inferiores são de "20 ou 25 horas, de um estado para outro de autocarro", não se coloca na Série A, explica o técnico, uma vez que "é quase tudo de avião, com equipas que estão nas capitais, com viagens diretas", além de os clubes terem capacidade para "fretar um avião e seguir para qualquer sítio".

Paulo Morgado lembra Paulo Bento, que orientou o Cruzeiro, como um dos exemplos, ainda que o antigo selecionador português "não se tenha adaptado, sem a noção da realidade que teria", além de comandar uma equipa "que não era assim tão forte".

Por outro lado, este Flamengo "tem mais qualidade e luta pelo título", mesmo que o atual campeão, o Palmeiras, do antigo selecionador de Portugal Luiz Felipe Scolari, seja "mais forte".

"Esse será o grande adversário no 'Brasileirão', é o atual campeão e a equipa mais forte, com um treinador que está cá há mais tempo e conhece bem o clube e o campeonato", lembra Morgado.

O técnico realça ainda que é "mais difícil ser campeão brasileiro do que ganhar a Taça Libertadores", um dos objetivos que Jorge Jesus assumiu, uma vez que na prova continental "há dois ou três clubes que podem fazer frente aos emblemas brasileiros".

"Acredito que Jesus vai ganhar títulos, é um treinador experiente e que conhece o futebol brasileiro", remata.

Jesus foi confirmado no sábado na equipa da primeira divisão brasileira, assinando um contrato de uma época depois de treinar equipas como Sporting de Braga, Benfica, Sporting ou os árabes do Al Hilal, o último emblema que representou.

O técnico luso vai assumir uma equipa em quarto no campeonato e que já está nos oitavos de final da Taça Libertadores, nos quais vai defrontar os equatorianos do Emelec, no final de julho.